Publicado em: 31/01/2017 - Última modificação: 03/02/2017 - 18:51
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Além do artesanato, um dedo de prosa sobre curiosidades e dicas turísticas

ARTE NOS DETALHES - Peças têm como matéria-prima principal escamas de peixes, conchas e cipós



Artesanato - Artistas Itanhaém
Superintendência calcula que, em média, duas mil pessoas trabalham no Município como artesãs

Compatilhar:

Esporões e escamas de peixes resgatados do mar de Itanhaém, cipós, conchas das praias, sementes de frutas e CDs viram arte em detalhes nas mãos do casal de artesãos Luiz Antônio Ferraz, de 43 anos e Ana Paula Adorno Oze, de 40 anos. Próximo ao coração do turismo na Cidade, a Passarela de Anchieta, os artesãos têm barraca há mais de dez anos no mesmo local, onde vendem e produzem ao vivo artigos de decoração. Quem espera, além do tradicional artesanato, ganha um dedo de prosa que discorre sobre lendas, curiosidades e dicas de pontos históricos e culturais do Município, de um guia que não é turismólogo.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Colares, pulseiras e esculturas em formato de “sapinhos” estão entre os preferidos dos turistas que acompanham de perto o trabalho realizado pelo casal, cadastrado na Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (Sutaco). Antes de ocupar um dos territórios mais visitados na alta temporada, os artesãos já atestaram a profissão em Campinas e em Eldorado, Vale do Ribeira, mas Itanhaém foi a Cidade escolhida para fixar residência, no bairro Gaivota.

“Os turistas veem a gente, artesãos, como uma espécie de guia turístico porque conversamos sobre curiosidades da terra, indicamos praias lindíssimas que merecem ser prestigiadas e, principalmente, a responsabilidade com o meio ambiente. O nosso diferencial é o material, que é tirado daqui e encaminhado direto para a produção dos artigos”, explica Luiz Antônio. “Com o meu trabalho consegui criar três filhos. Minha menina estuda Geografia na Universidade de São Paulo (USP) e a outra menina já está no mesmo caminho”.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2014, mostraram que o artesanato funciona como atividade econômica em 78,6% das cidades brasileiros. Em Itanhaém, os artesãos encontram no Centro de Atendimento ao Cidadão, localizado na Avenida Harry Forssell, 1505, no Jardim Sabaúna, um órgão que formaliza a profissão. Isso porque a Sutaco, vinculada à Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho, do Governo Estadual, cadastra artistas a fim de incentivá-los para a geração de renda.

A Superintendência calcula que, em média, duas mil pessoas trabalham no Município como artesãs, no entanto apenas 300 artistas são cadastrados. Entre as vantagens para se cadastrar na Sutaco estão desconto em comércios e convites para exposições em eventos no Estado de São Paulo. A atualização do cadastro deve ser realizada a cada dois anos.


Palavras-chave: , ,