Publicado em: 03/02/2017 - Última modificação: 08/02/2017 - 19:13
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Milho Guarani é inserido na merenda das escolas indígenas de Itanhaém

NOVIDADE - Os agricultores familiares indígenas fornecerão o alimento sagrado Avaxi Ete’i (Milho Guarani), em uma parceria com a Prefeitura



A grande novidade é que os produtos adquiridos pela Prefeitura serão de origem da própria tribo, por meio dos agricultores familiares das aldeias Rio Branco e Itaoca

Compatilhar:

Alimento considerado sagrado pela cultura indígena, o Avaxi Ete’i (Milho Guarani) foi inserido na merenda das escolas indígenas de Itanhaém, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A grande novidade é que os produtos adquiridos pela Prefeitura serão de origem da própria tribo, por meio dos agricultores familiares das aldeias Rio Branco e Itaoca.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Para marcar a inovação e retomar a história, a tribo Guarani realizou, na última terça-feira (31), o ritual Nhee’mongarai. A prática, ausente há 30 anos na comunidade indígena local, é retratada por estudiosos como o batismo do milho, momento onde são revelados e distribuídos os nomes em língua Guarani às crianças da aldeia que, segundo a tradição, representam suas verdadeiras “almas”.

Como parte da abertura do encontro, os indígenas produtores receberam ainda o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF) perante sua comunidade. A certificação é uma ferramenta de visibilidade e valorização dos agricultores familiares, criado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que tem como objetivo garantir a origem dos produtos, além de contribuir para a promoção da sustentabilidade, da responsabilidade social e ambiental, e da valorização da produção regional e da cultura local.

A entrega oficial, no entanto, ocorreu no último dia 20 com a presença de representantes da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (SEAD), contemplando 21 produtores familiares da agricultura e pesca artesanal de Itanhaém, numa parceria entre a Prefeitura de Itanhaém e Fundação Nacional do Índio (Funai).

“É um mundo diferente e fascinante que aprendemos a respeitar em nome de uma inclusão justa e digna destes produtores. Foram anos de trabalho, de respeito ao tempo, à cultura e ao perfil certo para que esta realidade chegasse consolidada ao nosso Município”, afirmou a gestora do Banco de Alimentos, Luciana Melo, presente na cerimônia de entrega do selo SIPAF.

Segundo tradição Guarani, o milho é considerado sagrado. É costume as crianças levarem as espigas para seus familiares comerem também, pois em sua cultura alimentar-se com o Avaxi Ete’i tem poder curativo e fortalecedor do corpo e do espírito.

MERENDA ESCOLAR – A merenda escolar é oferecida a 25 mil estudantes da educação infantil, ensino fundamental, médio, técnico e projetos educacionais, além das escolas indígenas da Aldeia do Rio Branco e Tangará. Os pratos são nutritivos e adotam os padrões exigidos pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar e a Recomendação Diária Alimentar, levando em consideração 350 calorias, tendo ainda de 9 a 12 gramas de proteínas para alunos da educação infantil, fundamental e escolas estaduais.

Para enriquecer a merenda, produtos frescos são encaminhados às unidades escolares. O Banco de Alimentos de Itanhaém é o mediador da parceria e, também, responsável pelo Programa de Aquisição da Agricultura (PAA) Familiar (PNAE /2011) que fornece maracujá, banana nanica, banana prata, inhame, couve, mandioca, tomate cereja, palmito pupunha, uva, chuchu, entre outros, à rede municipal e estadual.


Palavras-chave: , , , , ,