Publicado em: 08/02/2017 - Última modificação: 09/02/2017 - 18:53
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Conselho Municipal sobre Drogas realiza segunda reunião

CUIDADOS - Conselho tem como finalidade propor diretrizes da política municipal de prevenção e orientação as drogas



Conselho Municipal sobre Drogas de Itanhaém (CMSDI)
Na pauta foram discutidas mudanças no regimento interno e ainda aprovada a alteração do nome do conselho, que passou de Conselho Municipal de Entorpecentes (Comen) para Conselho Municipal sobre Drogas de Itanhaém (CMSDI)

Compatilhar:

O Conselho Municipal sobre Drogas de Itanhaém (CMSDI) realizou, na manhã desta quarta-feira (8), mais uma reunião mensal para tratar sobre assuntos referentes ao órgão. O encontro aconteceu na sala de reuniões do Paço Municipal e reuniu membros de diversos setores como Câmara Municipal, Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, Polícia Militar, Civil, entre outros.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

O encontro foi presidido por Silvio Cesar de Oliveira, representando a Câmara Municipal. Na pauta foram discutidas mudanças no regimento interno e ainda aprovada a alteração do nome do conselho, que passou de Conselho Municipal de Entorpecentes (Comen) para Conselho Municipal sobre Drogas de Itanhaém (CMSDI).

A próxima reunião será no dia 8 de março, na sala de reuniões do Paço Municipal. Será aberta ao público e realizada em toda segunda quarta-feira do mês.

CONSELHO – O Conselho é composto por um representante de cada uma das secretarias municipais: Educação, Cultura e Esportes; Habitação; Saúde; Negócios Jurídicos; além de um representante da Câmara Municipal; um representante da Polícia Militar do Estado de São Paulo, escolhido entre os integrantes do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD); representante da Polícia Civil, indicado pelo Delegado Titular da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (DISE); um representante do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente; um representante da Ordem dos Advogados do Brasil; e três representantes de entidades da sociedade civil organizada, sem fins lucrativos, preferencialmente voltadas à prevenção do uso indevido de drogas, álcool e substâncias que causem dependência física ou psíquica, tratamento, recuperação e reinserção social de dependentes.


Palavras-chave: