Publicado em: 24/03/2017 - Última modificação: 27/03/2017 - 18:58
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Na contramão da crise, Itanhaém supera marca de 10 mil empresas ativas

DESENVOLVIMENTO - Números são do site “Empresômetro MPE”, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo



Gráfico Empresas Ativas
Nos últimos dez anos, o crescimento registrado foi de 253%

Compatilhar:

O crescimento no número de empresas ativas em Itanhaém atingiu um patamar histórico no início de 2017, apesar da crise econômica que atinge todo o país. A Cidade superou a marca de 10 mil empresas ativas. Os números são do site “Empresômetro MPE”, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Nos últimos dez anos, o crescimento registrado foi de 253%. O Município tinha 2.832 empresas em 2007, chegando agora a 10.003. Desta quantia, 9.520 são micro e pequenas empresas, divididas da seguinte forma: 51% são microempreendedores individuais com sistema de tributos abrangido pelo Simples Nacional (SIMEI), 26% são microempresas (ME); 22% são micro e pequenas empresas abrangidas pelo Simples Nacional; e 1% é de Empresas de Pequeno Porte (EPP).

Além disso, a atividade econômica mais frequente é de lanchonetes, casas de chá, sucos e similares com 795 (8,35% do total). Logo depois, vem comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios com 679 (7,13%); cabeleireiros com 372 (3,91%); comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – minimercados, mercearias e armazéns com 323 (3,39%).

De 2016 a 2017, cresceram exponencialmente os negócios de serviços de montagem de móveis (20%), transporte rodoviário de mudanças (22%), manutenção e reparação elétrica de veículos automotores (25%), acabamento em fios, tecidos, artefatos têxteis e peças do vestuário (29%), instalação, manutenção e reparação de acessórios para veículos automotores (30%), aluguel de equipamentos recreativos e esportivos (43%).

“Itanhaém vive um novo momento. Algumas pessoas que estavam na informalidade, hoje, conseguiram sair dessa situação e estão empreendendo. Esta é uma porta de entrada, porém o mais importante para todos nós é que essas empresas consigam se manter”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Eliseu Braga Chagas.

O prefeito Marco Aurélio Gomes comentou sobre os números do Empresômetro MPE: “Recebemos estes dados com muita alegria. A Prefeitura busca criar melhores condições para que o desenvolvimento seja contínuo. Trabalhamos para que esse número cresça cada vez mais e, assim, ofereça mais empregos e melhores serviços para a população”.

EMPRESÔMETRO MPE – Base de dados do site (http://empresometro.cnc.org.br/) é formada por informações da Receita Federal, secretarias estaduais de Fazenda, secretarias municipais de Finanças, agências reguladoras, cartórios de registro de títulos e documentos, ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Caixa Econômica Federal (CEF), juntas comerciais estaduais, portais de transparência e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Palavras-chave: , ,