Publicado em: 31/03/2017 - Última modificação: 31/03/2017 - 18:36
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Aluno com autismo tem atendimento adequado na Educação Inclusiva

EDUCAÇÃO INCLUSIVA - Dia Mundial de Conscientização ao Autismo acontece no próximo domingo (2)



Aluno com autismo tem atendimento adequado na Educação Inclusiva
Alexandre Teixeira Gimenez, de 14 anos, é um dos 150 alunos com autismo atendidos pela Educação Inclusiva

Compatilhar:

Na sala de aula do 9º ano B da EM Eugênia Pitta Rangel Veloso, no Cidade Anchieta, um aluno se destaca com seu zelo nas correções das lições, sempre ao lado de um profissional de apoio que lhe dedica total atenção. Este estudante é Alexandre Teixeira Gimenez, de 14 anos, diagnosticado com autismo e inserido no trabalho de Educação Inclusiva de Itanhaém.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Confira as fotos

Alunos com autismo têm atendimento adequado na educação inclusiva

Em toda a Rede Municipal de Ensino, há cerca de 150 alunos com autismo inseridos nas salas de aula. Em casos como o de Alexandre, é oferecido ao aluno, durante o contraturno escolar, o Atendimento Educacional Especializado (AEE), onde são identificadas por profissionais especializados as potencialidades do estudante e quais são as adaptações necessárias no currículo escolar.

Além disso, para que o aprendizado seja adequado à realidade, um profissional de apoio dedica, na sala de aula, atenção especial ao aluno com deficiência. É o caso de Santiago Almeida do Nascimento, que trabalha exclusivamente para Alexandre há um mês e já ganhou a confiança do jovem.

“Eu acompanho todo o desenvolvimento dele em sala de aula, sempre auxiliando no aprendizado e nas correções. Também busco passar um conteúdo a mais. Ele é muito inteligente, mas precisa estar sempre com a cabeça ocupada”. Santiago aponta sua atividade favorita: ver o atlas de geografia. “Ele gosta muito desta matéria e também de inglês”.

Georgina Lourenço de Moura é professora de língua portuguesa da turma e dá aula a Alexandre há dois anos. Para trabalhar melhor a concentração, leitura e raciocínio, a professora oferece o jogo de caça-palavras e recortes de jornais, que também estão entre os preferidos do garoto.

Segundo a professora, o aluno tinha muita dificuldade no início, mas com o trabalho realizado em sala de aula ele vem demonstrando grandes avanços. “No começo ele era muito agitado, mas agora está bem mais calmo. Ele interage bastante com os colegas, é muito participativo, inteligente, esforçado e gosta de fazer as lições”, elogia a professora.

Alexandre teve o diagnóstico quando tinha apenas 4 anos. A mãe, Kelly Cristina Teixeira, conta que a partir de então buscaram tratamento e elogiou o atendimento do filho nas escolas municipais, onde sempre estudou. “A escola ajudou demais no desenvolvimento dele. Anos atrás não havia nada disso”.

O estudante também tem consulta com psicólogo e fonoaudióloga no Programa Cuidar, uma iniciativa que engloba as secretarias municipais de Saúde, Educação, Cultura e Esportes e Assistência e Desenvolvimento Social. “Ele evoluiu muito com este acompanhamento”.

CONSCIENTIZAÇÃO – O autismo é um distúrbio de desenvolvimento caracterizado pela dificuldade de comunicação e interação social. A data de 2 de abril marca o Dia Mundial de Conscientização do Autismo e, para reforçar essa ideia, será realizada neste domingo, das 9 às 12 horas, uma caminhada cujo ponto de encontro será no Paço Municipal.

Os participantes seguirão pela Orla da praia do Centro, da Rua Cesário Bastos até a Avenida Rui Barbosa, rumo à Praça Narciso de Andrade, retornando pela Rua Cunha Moreira até o estacionamento do Paço Municipal para confraternização.


Palavras-chave: ,