Publicado em: 17/04/2017 - Última modificação: 24/04/2017 - 19:12
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Após 60 anos, Neide Maria Martins realiza sonho da casa própria

MORAR BEM - No bairro Oásis, 72 unidades habitacionais estão em fase de conclusão e devem ser entregues nos próximos meses



Entrega de casa
A moradora do Oásis faz parte de uma das 24 famílias que conquistaram a casa própria

Compatilhar:

O brilho no olhar e a chave na mão de Neide Maria Martins, de 66 anos, são provas de que um sonho pode sim se tornar realidade, principalmente quando a esperança se transforma em sua melhor aliada na luta por uma moradia digna. Desde que se mudou para uma das unidades habitacionais entregues pelo programa Morar Bem, há quase três anos no bairro Oásis, em Itanhaém, ela nunca mais passou noites em claro com a preocupação de que se chovesse perderia os móveis. Neide faz parte de uma das 24 famílias que conquistaram a casa própria.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

No Oásis, as primeiras moradias foram entregues às famílias que residiam em casas construídas em beira de rios, consideradas precárias por estarem erguidas em áreas verdes da Cidade. Na região, 72 unidades habitacionais estão em fase de conclusão e devem ser entregues nos próximos meses.

Cada casa conta com 37 metros quadrados de área construída, com sala, cozinha, banheiro e quarto, além de itens como vaso sanitário, pia, torneiras, tanquinho, porta, janelas e instalação hidráulica. As residências edificadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não acarretam custos aos moradores, pelo contrário, são doadas às famílias mais necessitadas.

Neide Maria Martins foi uma das primeiras a conquistar seu “canto”. Passou anos morando de aluguel, pagava R$ 200,00 por mês. “Nunca imaginei que depois de anos de sofrimento conseguiria minha casa própria. Estou muito feliz porque é uma oportunidade de criar minha neta em um lugar mais apropriado, em condições que favoreçam o crescimento dela. Passei anos pagando por algo que nunca foi meu. Ter esta residência é a realização de um sonho”, conta.

Vizinhas e amigas há anos, Maria Francisca Rocha de Souza, de 65 anos, foi testemunha dos problemas enfrentados por Neide. “Era uma triste realidade, sempre que chovia. Quando eu estava lá, morei por muitos anos em um cômodo com a minha família, situação que ninguém merece passar”, diz Maria, que trabalhou por anos na roça, mas hoje vive em Itanhaém. Ela também morava de aluguel um uma área considerada de risco. “Era tudo misturado. Um espaço que eu dividia em quarto e cozinha”.

O investimento em residencial no Município, de 2013 a 2016, chegou a 1.308 unidades populares, beneficiando diretamente mais de 5 mil pessoas. Além do Oásis, pelo PAC, neste cálculo de moradias está incluso também o conjunto residencial dos Pássaros, no Guapurá, que faz parte do Programa Minha Casa, Minha Vida, por intermédio dos governos estadual e federal.

No Minha Casa, Minha Vida a medida para definir os critérios de seleção passou antes pela aprovação do Conselho do Fundo Municipal de Habitação, que inclui os seguintes itens: famílias com o maior número de filhos (tutelados e curatelados); famílias que residam nas proximidades do empreendimento; e famílias indicadas pelo Poder Judiciário e (ou) Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.


Palavras-chave: , ,