Serviços
acessibilidade



Publicado em: 25/10/2019 - Última modificação: 16/11/2020 - 11:19
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Projeto de escola de Itanhaém é destaque no Troféu Proler Baixada Santista

ESCREVER - A redação de um aluno da Educação de Jovens e Adultos (EJA) também foi finalista e recebeu prêmio



Marcos Santana e Simone (segunda da dir. para esq.) receberam a premiação na última quinta-feira

Compartilhar:

O projeto ‘Escola e Família Unidas pela Leitura’, desenvolvido na E.M Maria do Carmo Abreu Sodré, ficou em terceiro lugar no Troféu Proler Baixada Santista-Unisanta. Ele concorria com outras 350 iniciativas de unidades de ensino de toda a Região. A redação do aposentado Marcos Santana, aluno do programa Educação de Jovens e Adultos (EJA) da escola Eugênia Pitta Rangel Veloso, também se destacou e ficou entre as 10 melhores na categoria ‘Escreler’.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, Facebook e no Twitter

A premiação aconteceu na última quinta-feira, na Unisanta, em Santos. “É uma honra muito grande receber esse troféu. Fico emocionada e motivada a continuar trabalhando mais pela educação”, comemora a professora Simone Leston da Silva, idealizadora do projeto.

O Proler Baixada Santista foi criado em 1994, pela Universidade Santa Cecília, por iniciativa da reitora Sílvia Ângela Teixeira Penteado. Desde então, ele promove cursos de aperfeiçoamento profissional para professores das redes municipal, estadual e particular de ensino e, anualmente, concede o Troféu Proler, que homenageia as práticas de incentivo à leitura e práticas leitoras e é considerado um dos mais importantes do setor.

Finalista na categoria Escreler, a redação de Marcos Santana fala sobre a busca de um futuro melhor. Aluno do 9º ano do EJA da Eugênia Pitta, ele se emociona ao falar sobre a alegria que é voltar a estudar e chegar à final de um prêmio regional de redações. “Quando eu entro na sala de aula, parece que eu volto a ser criança. Me sinto jovem, renovado. Estar aqui hoje é uma grande honra”, conta ele.

O projeto ‘Escola e Família Unidas pela Leitura’

Um professor passa no máximo 5 horas com os alunos, mas e depois em casa essa criança tem contato com livros? Seus pais são leitores? Esses eram os questionamentos de Simone. Então a educadora decidiu desenvolver um projeto não só para os estudantes, mas para toda a sua família, porque ao tornar os pais leitores é mais fácil que a criança seja leitora também. E assim surgiu o ‘Escola e Família Unidas pela Leitura’.

A missão do projeto é formar leitores desde o ensino infantil, fazer com que as crianças gostem e apreciem os livros desde pequenos. Com o apoio da coordenação e da diretoria, Simone realizou uma reunião com os pais e fez uma pesquisa para saber se as famílias eram leitoras ou se não tinham contato com nenhum livro.

Leia mais

Professores de Itanhaém recebem o ‘Prêmio Educador Nota 10’

Ao tomar saber que o contato com os livros não era o ideal, ela passou a realizar durante o ano acontecem várias atividades como o empréstimo de livros e momentos em que os pais vão até a escola para apresentar para as crianças a obra literária que escolheu.

Este ano, cada família recebeu uma caixa onde deveriam colocar todos os gêneros textuais como gibi, livro de histórias infantis e um para adultos, receitas e poesias. As caixas foram decoradas e enviadas para outra família. Vão muito além das atividades de casa, os pais fazem parte do projeto, pois trazem novas ideias e opinam. Há um contato muito próximo com a professora.

Além disso, o projeto incentiva a própria escola a ser leitora, porque há uma fase em que os funcionários precisam ler para as crianças na classe. O desenvolvimento do trabalho já traz resultados, 90% dos pais participam e um aluno de quatro anos já está lendo.

“Eu já tinha noção que deveria começar a desenvolver um trabalho desde o infantil. Então de início foi esse o desejo do meu coração: O dia que eu trabalhar com educação infantil vou começar esse projeto de leitura”, contou Simone.

 


Palavras-chave: , , , , , , , ,