Serviços
acessibilidade



Publicado em: 27/08/2018 - Última modificação: 16/11/2020 - 12:31
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Também para os baixinhos; crianças e adultos vencem batalha de breaking

TALENTO - Troféus foram conquistados na 5ª edição da Batalha pelo Livro, realizada em Cajati, no Vale do Ribeira



Dançarinos de Itanhaém mais uma vez mostraram seu talento ao conquistar dois troféus de primeiro lugar após uma série de batalhas de break dance

Compartilhar:

Quando eles entraram em cena, nós nos perguntamos: como é que fazem isso? E não é de hoje que Itanhaém tem uma equipe que se destaca em competições de breaking, com vitórias dentro e fora do país. Exemplo disso é que no último dia 18, crianças e adultos saíram vitoriosos da 5ª edição da Batalha pelo Livro, realizada em Cajati, no Vale do Ribeira. Os dançarinos da Cidade mais uma vez mostraram seu talento ao conquistar dois troféus de primeiro lugar após uma série de batalhas de break dance, disputadas nas categorias kids e adulto profissional, modalidade 1vs1.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Treinar, treinar e treinar. Assim são os dias das crianças, de 6 a 12 anos, e dos adultos que participaram do mundo das batalhas numa velocidade alucinante. Os ensaios acontecem semanalmente no Núcleo de Atividades Culturais e Esportivas do bairro do Guapurá, dentro do projeto da Associação de Dança Itanhaém. Além disso, o Grupo Action Dance fez uma apresentação especial para os dançarinos de Peruíbe, Pedro de Toledo, Jacupiranga, Pariquera-Açu e Ilha Comprida.  

“Eu havia competido em outros lugares, mas é sempre uma ansiedade diferente, como se fosse a primeira vez. Já sei quase todos os passos. Entrei na dança porque sempre gostei deste estilo”, conta sorridente a aluna da Escola Municipal Professora Silvia Regina Schiavon Marasca, Kethelyn Cristina Santos de Jesus, de 9 anos, que dança breaking desde fevereiro e já participou de sete batalhas. “Quando crescer, quero trabalhar com dança profissionalmente. Meus amigos da escola acham muito legal o que faço”.

Outro pequeno que não abre mão dos ensaios é Jheferson Ray Tavares Oliveira, de 10 anos, estudante da Escola Municipal Maria Patrocina Condota. Ele sabe da importância de dosar os estudos com as aulas de dança, mas neste quesito é categórico: “O que mais gosto de fazer é o ‘power movie’ – que são os movimentos de impacto, executados por profissionais deste estilo de dança. É minha quarta competição, sempre fico ansioso. Meus pais acham muito legal, desde que as minhas notas na escola estejam boas. Esta é uma das regras para fazer parte do grupo”.

Para o coordenador das aulas de dança do Núcleo, Fernando Curcio, que possui experiência em competições de outros países, como Estados Unidos, Alemanha, Portugal, Argentina e Uruguai, esta é uma oportunidade única de conhecer outras pessoas e até mesmo culturas diferentes. “Para as crianças, esse tipo de atividade não só ajuda no condicionamento físico, mas também no fortalecimento de vínculo com outros dançarinos”, finaliza Curcio que dá aulas no Núcleo juntamente com o professor Paulo Henrique Gomes de Jesus.


Palavras-chave: , , , ,