Serviços
acessibilidade



Publicado em: 03/04/2019 - Última modificação: 16/11/2020 - 11:51
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Roda CREAS dedica dia ao combate à discriminação racial

IGUALDADE - O projeto tem o objetivo de incentivar a população quanto aos serviços oferecidos pela rede de assistência do Município



A Praça Narciso de Andrade foi palco da ação, que durou sete horas, e contou com a presença de autoridades, estudantes e representantes da Prefeitura

Compartilhar:

A fim de sensibilizar a população sobre os danos causados por um problema que já está enraizado na cultura brasileira: a discriminação racial. A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (SADS), por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), dedicou a primeira edição do projeto “Roda CREAS” ao Dia Internacional de Combate à Discriminação Racial (celebrado em 21 de março), abordando a temática por meio de rodas de conversas, apresentações de capoeira, teatro e exposições sobre o assunto. A Praça Narciso de Andrade, Centro Histórico, foi palco da ação, que, além do público, contou com a presença de autoridades, estudantes e diversos representantes de equipamentos da SADS.

 Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

 Confira as fotos

O responsável da pasta, secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Rogélio Salceda, parabenizou os idealizadores da ação, enaltecendo a importância desta conscientização. Já o presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (CMPIR), Jurandir da Costa Barreiros, explicou como o evento relaciona-se com o Conselho: “a antiga geração sofreu com diversos tipos de preconceito, então a intenção é conscientizar esta nova geração quanto aos prejuízos que este comportamento pode causar, buscando o respeito entre os jovens. O CMPIR busca desenvolver isso junto com a sociedade civil a fim de eliminar o máximo possível dessa discriminação que acontece em todos os aspectos”.

Leia mais
Escolas do Município recebem psicóloga para falar sobre bullying
Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial toma posse

Sacerdotisa das religiões afro-brasileiras, a Mãe Maria Elise Rivas diz que é importante que a nova geração entenda que o debate da questão racial no Brasil nunca deixou de ser necessário. “Além do comum que todos entendem como racismo: a questão da cor da pele, o racismo está presente em costumes, religiões e em várias instâncias”, explica. “É importante que as crianças se conscientizem que a discriminação é um tema que foi construído culturalmente, e da mesma forma que foi construída, pode ser desconstruída. Não existe uma idealização dessa cultura como sendo boa. Por isso, precisamos quebrar esse ciclo”, finaliza.

ESCOLAS

Durante o evento, os alunos das escolas municipais Bernardino de Souza, Dalva Dati, Eugênia Pitta, Harry Forssell e Silvia Marasca estiveram presentes participando efetivamente do desenvolver da ação. Em uma roda, os jovens jogaram um jogo de dados criados por eles mesmos, cujo objetivo era ler a frase de cada lado sorteado, seguido de “eu não concordo”. Entre as citações, estiveram declarações preconceituosas recorrentes na cultura brasileira, como “tem cabelo duro”, “tem um pé na senzala”, entre outras.

Além disso, os jovens do 8º ano da EM Dalva Dati Ruivo apresentaram um teatro, criado por eles mesmo, sobre o tema. Segundo os estudantes, o roteiro foi criado por meio de experiências dos próprios alunos, que não se intimidaram com o teor “pesado” do assunto.

APOIO

A ação teve apoio da Sabesp, que ofereceu água para os presentes, do Posto do Cartório Eleitoral, que agendou o cadastramento biométrico da população, e contou com orientação jurídica por meio do representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sergio Maximiano, e da colaboração do Centro Pop.

RODA CREAS

O projeto “Roda CREAS” foi desenvolvido com objetivo de alcançar a população que não possui conhecimento e condições financeiras ou psicológicas de participar dos serviços oferecidos pela rede de assistência do Município, proporcionando, assim, o contato dos cidadãos com os profissionais e estreitando laços com a comunidade e os demais órgãos públicos. A proposta do projeto é que a cada mês seja abordado um assunto diferente, que possa ser discutido, a fim de contribuir com o enfretamento de desigualdades e o empoderamento da comunidade.


Palavras-chave: , , ,