Serviços
acessibilidade



Publicado em: 21/05/2021 - Última modificação: 31/05/2021 - 15:40
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Ponto MIS traz programação cinematográfica online para munícipes

CULTURA - Neste sábado (22), às 18 horas, as atividades ficam por conta do bate papo ao vivo, com o médico cancerologista, Dráuzio Varella, e convidados, sobre o filme Carandiru, no Youtube do MIS.



Compartilhar:

A Prefeitura de Itanhaém, por meio do Departamento de Cultura, e o Museu da Imagem e Som (MIS) realizam neste mês de maio, uma programação virtual com o objetivo de incentivar reflexões e debates culturais. Neste sábado (22), às 18 horas, as atividades ficam por conta do bate papo ao vivo, com o médico cancerologista, Dráuzio Varella, e convidados, sobre o filme Carandiru, no Youtube do MIS.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagramno Facebookno Twitterno Youtube e no Flickr

O filme já está disponível, e para assistir, basta se inscrever, neste link. Entre os dias 24 e 28 de maio, o Ponto MIS também oferece a Oficina Introdução à Linguagem do Roteiro, com Daniela Smith. Das 19 às 21 horas, pela plataforma Sympla, a oficina oferece noções técnicas sobre o processo de criação do roteiro cinematográfico, desde o surgimento da ideia até a formatação do roteiro final, fazendo o participante compreender as etapas que envolvem a escritura de um roteiro audiovisual.

“Seu objetivo é promover o exercício da imaginação, oferecendo ao grupo ferramentas teóricas e técnicas que impulsionam e alicercem a criação e a produção de roteiros audiovisuais”, explicou o diretor de Cultura, Tony Sheen.

As inscrições serão via plataforma da Sympla, conforme links de inscrições abaixo. A data limite para inscrição será sempre às 12 horas do dia da oficina que o interessado escolher. O link de acesso à aula será enviado automaticamente ao aluno pelo email cadastrado na inscrição, assim como o certificado.

Seguem os links:

Inscrição do dia 24

Inscrição do dia 25

Inscrição do dia 26

Inscrição do dia 27

Inscrição do dia 28

SOBRE O FILME

Carandiru é um filme de drama brasileiro de 2003 dirigido por Héctor Babenco. Trata-se de uma superprodução baseada no livro Estação Carandiru, do médico Drauzio Varella, onde ele narra suas experiências com a dura realidade dos presídios brasileiros em um trabalho de prevenção à AIDS realizado na Casa de Detenção de São Paulo.

Carandiru conta algumas das histórias dos detentos do presídio, que foi a maior prisão da América Latina; a história do filme culmina com o massacre de 1992 ocorrido no local, onde 111 prisioneiros foram mortos, 102 pela polícia. O próprio presídio foi usado para a realização de algumas cenas antes de ser demolido em 2002, um ano antes do lançamento do filme.

Babenco chegou a afirmar que Carandiru era o “filme mais realista que ele já fez”, apresentando um novo tipo de realismo brasileiro inspirado no Cinema novo, retratando a realidade crua dos presídios brasileiros com o filme sendo rodado na própria prisão e usando muitos prisioneiros reais como atores. Devido a este foco em retratar a realidade, além das inspirações vindas das memórias do livro de Varella, Carandiru pode ser descrito como um docudrama ou como um testemunho dos prisioneiros do local.

Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos. (Via Wikipédia).

BATE-PAPO DE CINEMA PONTO MIS: MOSTRA BABENCO — CARANDIRU

Exibição do filme Carandiru (direção Hector Babenco, Brasil, 2003, 145 minutos, 16 anos). Participam do bate papo, os seguintes convidados:

Drauzio Varella é médico cancerologista. Nasceu em São Paulo e, durante 20 anos, dirigiu o serviço de imunologia do Hospital do Câncer (SP). Lecionou no Brasil e no exterior. Foi um dos pioneiros no tratamento da AIDS no Brasil.

Keila Pereira, 24 anos, moradora de Parelheiros, São Paulo, é estudante de Letras na USP, ex-diretora de cultura da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (2016-2018) e atualmente agente cineclubista da Spcine.

Giuliana Monteiro, roteirista e diretora nascida em São Paulo. Formada em Multimeios pela PUC-SP, trabalhou como produtora durante oito anos antes de dirigir seus primeiros projetos.