Serviços
acessibilidade



Publicado em: 03/09/2021 - Última modificação: 10/09/2021 - 13:16
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Projeto Jundu sinaliza áreas de preservação nas praias

MEIO AMBIENTE - As folhas do Jundu podem até aparentar frágeis, mas suas raízes contêm o avanço das marés e impedem a erosão causada pelas ressacas, sendo assim muito importante para a manutenção do ecossistema. O projeto tem como objetivo proteger, preservar e restaurar o ecossistema costeiro



Compartilhar:

Nesta semana, a Prefeitura de Itanhaém, por meio da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, sinalizou duas áreas com placas indicativas de preservação e conscientização ambiental, localizadas na Praia do Centro e Praia do Sonho. A ação faz parte do Projeto Jundu.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

Essa é uma iniciativa do Comdema Itanhaém criada em 2015, que tem como objetivo proteger, preservar e restaurar o ecossistema costeiro, estando presente em instrumentos importantes de gestão municipal como o Plano Diretor (2015), Plano de Combate a Erosão (2017) e Plano Municipal da Mata Atlântica (2020). E também colabora com a Década da Restauração de Ecossistemas criada pela ONU.

Executada pela Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, as ações consistem em etapas de mapeamento, identificação, sinalização de áreas preservadas e recuperação, além de cerceamento de áreas degradadas.

O nome do projeto se dá pela importância da planta Jundu, uma mata de baixa estatura formada por gramíneas e arbustos muito presente em regiões litorâneas. As folhas do Jundu podem até aparentar frágeis, mas suas raízes contêm o avanço das marés e impedem a erosão causada pelas ressacas, sendo assim muito importante para a manutenção deste ecossistema.

“A sinalização na faixa de areia de praia que possui vegetação de restinga, mais conhecida como Jundu, é importante para delimitarmos as áreas de recuperação. É a única forma para garantirmos a contenção dos processos erosivos, a defesa da biodiversidade e a estabilização dos bancos de areia, que contribuem para o enfrentamento das ressacas e do avanço do mar”, explicou o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, César Augusto.