Serviços
acessibilidade



Publicado em: 05/09/2022 - Última modificação: 23/09/2022 - 16:17
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Feira Gastronômica “Sabores Caiçaras” traz o melhor da culinária regional

ATRAÇÃO - A 4ª edição do evento é uma realização da Associação Comercial de Itanhaém (ACAI), com apoio da Prefeitura de Itanhaém, por meio da Secretaria de Turismo



O público poderá apreciar pratos especialmente criados para a 4ª edição do “Sabores Caiçaras” nos estabelecimentos

Compartilhar:

Com cardápio para atrair todos os paladares, a 4ª edição da Feira Gastronômica “Sabores Caiçaras” de Itanhaém vai proporcionar aos visitantes o melhor da culinária regional. Os restaurantes vão oferecer 30 pratos com o melhor da cultura caiçara nas duas próximas semanas, a partir das 18 horas, nos Arcos do Convento Nossa Senhora da Conceição, no Centro Histórico.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

O festival começa no dia 16 (sexta-feira) e vai até domingo (18), retornando na semana seguinte entre os dias 23 (sexta-feira) e domingo (25). O destaque será a culinária caiçara, mas o cardápio vai oferecer pratos que agradam todos os paladares. Os preços variam de R$20 a R$50.

Além disso, o público poderá apreciar pratos especialmente criados para a 4ª edição do “Sabores Caiçaras” nos estabelecimentos. Entre os ingredientes da região estão camarão, polvo e lula. Os participantes são: Asahi, Emporium Gastro Beer, ItaTemakeria, Luuma, Maré, NÔ Bar, Quality, Sensazionale, Sr. Espetto, Tia Lena, Toca do Tubarão e Villa di Campo’s.

O objetivo do “Sabores Caiçaras” é divulgar a riqueza da culinária de Itanhaém e movimentar a economia local. O evento foi criado em 2018, na Associação Comercial, Agrícola e Industrial (ACAI), por meio da união de comerciantes do Município.

O “Sabores Caiçaras” é uma realização da Associação Comercial de Itanhaém (ACAI), com apoio da Prefeitura de Itanhaém, por meio da Secretaria de Turismo. O evento este ano também conta com a mentoria dos chefs Ivan Achcar e Jaque Watanabe, da Escola de Gestão em Negócios da Gastronomia (EGG).


Palavras-chave: , ,