Serviços
acessibilidade



Publicado em: 20/09/2022 - Última modificação: 22/09/2022 - 15:29
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Campanha de combate à tuberculose é intensificada em Itanhaém

SAÚDE - A tuberculose tem cura e o tratamento dura no mínimo seis meses. É gratuito e disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS)



Recomenda-se, portanto, buscar uma Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima neste período, caso apresente tal sintoma da doença

Compartilhar:

Até o próximo dia 27, a Vigilância Epidemiológica de Itanhaém realiza a campanha de intensificação de busca ativa da identificação de pessoas com sintoma pulmonar de tuberculose. O objetivo é detectar precocemente os casos, interrompendo a cadeia de transmissão para reduzir a incidência da doença infectocontagiosa. Recomenda-se, portanto, buscar uma Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima neste período, caso apresente tal sintoma da doença.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

Trata-se de uma atividade sistemática e contínua (rotina permanente) para a identificação de pessoas com tosse persistente (possibilidade de estar com TB pulmonar ou laríngea), com o objetivo de identificar precocemente os casos bacilíderos, iniciar o tratamento, interromper a cadeia de transmissão e reduzir a incidência da doença.

Causada pela bactéria bacilo de Koch, a doença atinge principalmente os pulmões e sua transmissão ocorre pelo ar, por meio da fala, tosse ou espirro de pessoas doentes. A cura dos casos bacilíferos – em que há somente o sintoma acentuado – continua sendo a melhor estratégia de prevenção da doença, uma vez que geralmente a fonte de infecção é o indivíduo com a forma pulmonar da doença.

O foco da campanha é buscar especificamente os sintomáticos respiratórios, ou seja, pessoas com tosse a mais de duas semanas. O principal sintoma é esta tosse na forma seca ou produtiva, por isso é necessário que todo caso seja investigado. Neste período de busca, será ofertado nas USFs o exame diagnóstico para esse público. A campanha visa também levar à população informações sobre a doença.

A tuberculose tem cura e o tratamento dura no mínimo seis meses. É gratuito e disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No tratamento, é preciso obedecer aos princípios básicos da terapia medicamentosa. A esses princípios, soma-se o Tratamento Diretamente Observado (TDO) da tuberculose, que consiste na ingestão diária dos medicamentos da tuberculose pelo paciente, sob a observação de um profissional da equipe de Saúde.

Com o início do tratamento, a transmissão tende a diminuir gradativamente e, normalmente, após 15 dias, a tuberculose já se encontra bastante reduzida. Calcula-se que, durante um ano, numa comunidade, um indivíduo positivo pode infectar, em média, de 10 a 15 pessoas.

SINTOMAS – O principal é a tosse na forma seca ou produtiva. Contudo, há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço ou fadiga.

IMPORTANTE – Caso apresente estes sinais da doença, não deixe de procurar uma USF mais próxima para avaliação e realização de exames. Se o resultado for positivo para tuberculose, deverá ser iniciado o tratamento o mais rápido possível e seguido até o final.

REGISTROS – Segundo o Ministério da Saúde, a cada ano são notificados no país aproximadamente 50 mil casos novos e ocorrem cerca de 4,5 mil mortes em decorrência da tuberculose. No mundo, cerca de 10 milhões de pessoas adoecem, levando mais de um milhão de pessoas a óbito, anualmente.


Palavras-chave: , ,