Serviços
acessibilidade



Publicado em: 02/12/2022 - Última modificação: 17/12/2022 - 10:09
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Cultura Caiçara é tema da ll Semana dos Direitos Humanos de Itanhaém realizado pela E.M Osmar Rodrigues

EDUCAÇÃO - O projeto “A beleza e a tradição: o resgate da cultura caiçara”, idealizado pela professora Renata Penna, objetivou difundir o princípio da equidade, além de valorizar e preservar a diversidade cultural



Compartilhar:

A Escola Municipal Osmar Rodrigues, realizou no último dia 28, a conclusão das atividades que culminaram com a II Semana dos Direitos Humanos de Itanhaém. Na oportunidade, a unidade escolar recebeu pais de alunos e comunidade local para uma exposição que apresentou os resultados dos projetos desenvolvidos pela equipe gestora, professores e discentes.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

Em conformidade com o currículo Educaita, a comunidade escolar desenvolveu ao longo do ano letivo, uma série de atividades envolvendo a cultura caiçara. O projeto “A beleza e a tradição: o resgate da cultura caiçara”, idealizado pela professora Renata Penna, objetivou difundir o princípio da equidade, além de valorizar e preservar a diversidade cultural.

A metodologia adotada estimulou o protagonismo dos alunos, o processo de sensibilização e o contato significativo dos alunos com o modo de vida caiçara, como também a participação efetiva da comunidade local nas atividades. Na ocasião os estudantes ouviram moradores sobre seus ofícios tradicionais, como os conhecimentos sobre pesca, relatados pelo Sr. Reinaldo; Reisado, exposto pelo professor Ernesto Bechelli, ou ainda puderam ouvir tradicionais histórias da cidade, narradas pela professora Ana Maria Ferreira, a Nana.

A exposição convidou os participantes a caminharem por um circuito que narrava o modo de vida tradicional caiçara, por meio de releituras de quadros de pintores relacionados à cidade, fotografias que ilustravam vivências, a reescrita de contos e lendas caiçaras, a exposição de objetos e artesanatos tradicionais, e ainda, histórias sobre a cidade, contadas por pais de alunos.

“Quem participou do evento, muito provavelmente, encantou-se com as belezas da cultura caiçara e sentiu-se um pouco autor daquelas histórias, já que elas fazem parte da trajetória de vida e da identidade social das pessoas que vivem em nossa cidade”, enfatizou André Lopes, representante da Assessoria Pedagógica da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes.