Serviços
acessibilidade



Publicado em: 07/12/2022 - Última modificação: 07/12/2022 - 18:19
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Itanhaém recebe prêmio pelo combate a transmissão vertical do HIV

SAÚDE - Desde 2018, Itanhaém não tem nenhum caso de transmissão vertical, ou seja, quando a forma de transmissão ocorre de mãe para filho, durante a gestação, parto e amamentação



Compartilhar:

O trabalho desenvolvido pela Secretaria de Saúde de Itanhaém, por meio das Unidades de Saúde da Família (USF) e o Centro de Infectologia de Itanhaém (CINI) para combater a transmissão vertical do HIV, rendeu ao município o “Prêmio Luiza Matida”. Desde 2018, Itanhaém não tem nenhum caso de transmissão vertical, ou seja, quando a forma de transmissão ocorre de mãe para filho, durante a gestação, parto e amamentação.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

A premiação que aconteceu nesta segunda-feira (05) no Centro de Convenções Ibirapuera em São Paulo, integra a 7ª Semana Paulista de Mobilização Contra a Sífilis e Sífilis Congênita: “Os desafios da eliminação da sífilis congênita – teste, trate e cure a sífilis adquirida”.

Na oportunidade foram premiadas as cidades do Estado que melhor desempenharam ações e trabalhos contra a transmissão vertical do HIV. Na Baixada Santista, além de Itanhaém, apenas Peruíbe e Guarujá foram contempladas.

“Este um reconhecimento ao trabalho da equipe da Secretaria Municipal de Saúde e também da maternidade do Hospital Regional Jorge Rossmann que auxilia o nosso trabalho. Aproveito para agradecer o empenho e a dedicação de todos os profissionais que prestam um serviço de qualidade no acompanhamento das gestantes que vivem com HIV para que essa eliminação seja possível em longo prazo”, afirmou a secretária de Saúde, Guacira Barbi.

O Prêmio, do Programa Estadual DST/Aids-SP é uma homenagem à médica pediatra Luiza Matida, falecida em 2014. Ela coordenou a elaboração e implantação de políticas públicas e estratégias para a Eliminação da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis do Programa Estadual de DST/Aids. A redução dos casos de TV do HIV e a organização das ações de controle da sífilis no Estado de São Paulo nos últimos anos deve-se em grande parte ao seu árduo e incansável trabalho. Esta é a 4ª edição do “Prêmio Luiza Matida”.

A Semana Paulista tem como objetivo discutir os desafios no enfrentamento da sífilis congênita como um problema de saúde pública no estado de São Paulo, além de apresentar experiências exitosas desenvolvidas no território, visando a eliminação desse agravo.

A Secretária de Saúde de Itanhaém também salientou que o trabalho dos profissionais é diário para que a cidade tenha o mesmo êxito em relação à sífilis congênita. “A nossa equipe trabalha dia a dia em busca de novas ações e estratégias para que toda gestante com sífilis seja tratada adequadamente e faça o acompanhamento laboratorial. A população precisa se conscientizar sobre a importância da testagem, mesmo antes de chegar ao pré-natal. Esse simples ato é extremamente impactante para o combate da Sífilis Congênita”, explicou.