Serviços
acessibilidade



Publicado em: 21/03/2024 - Última modificação: 01/04/2024 - 15:39
[email protected]

Pinacoteca Municipal recebe exposição “Fragmentos de Afetos” até 20 de abril

CULTURA - A partir de uma coleção de fotografias, retratos de detalhes significativos de várias partes de Itanhaém, a artista apresenta os fragmentos de sua memória afetiva com a cidade



Compartilhar:

A Pinacoteca Municipal Alfredo Volpi recebe, até 20 de abril, a exposição “Fragmentos de Afetos”, da artista Elisa Murgel. A exposição, que apresenta fotografias de diferentes partes de Itanhaém, acontece das 9 às 17 horas, de terça a sábado. A Pinacoteca fica localizada na Praça Carlos Botelho, 48, no Centro.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

A partir de uma coleção de fotografias, retratos de detalhes significativos de várias partes da Cidade, Elisa apresenta os fragmentos de sua memória afetiva, sutis lembranças de sua infância e juventude.

Detentora de um método distindo, a artista costuma fotografar em preto e branco, além de não editar suas fotos, definindo na hora do registro como será o resultado de suas fotos. “Produzo fotos que mostram estes momentos, o belo no inesperado, nos detalhes, nas formas e nos desenhos da luz, em suas nuances de sombras e emoções”,  explicou Elisa.

“Fotógrafa-engenheira”, como se autointitula, possui uma íntima relação com Itanhaém, sendo dona de uma casa centenária do Município, que já foi de seu avô e atualmente é onde vê crescer o seu neto. A Cidade, portanto, contêm parte de suas raízes e faz parte da história de sua família há várias gerações, o que pode ser visto em sua obra.

“Que cada um, em seus próprios afetos e ligações com Itanhaém, vislumbre e encontre suas próprias recordações nesta série de fotografias que homenageiam, não a cidade em si, mas o lugar de referência a tantos que por aqui passaram e viveram”, finalizou.

SOBRE A ARTISTA – Nascida em São Paulo, tem profundos vínculos e raízes com Itanhaém. Dedicou-se profissionalmente à engenharia, sendo consultora especialista em acústica ambiental, mas foi pela arte que se descobriu. Em 2020, se assumiu mulher transgênera, se empenhando em seguir participando da sociedade, com o seu trabalho, de modo a mostrar que é apenas uma mulher comum, como qualquer outra. Já participou de diversas exposições, coletivas e individuais, bem como recebeu diversos prêmios em artes visuais e fotografia artística.


Palavras-chave: , , ,