Publicado em: 09/05/2017 - Última modificação: 11/05/2017 - 10:46
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Alunas viram professoras de empreendedorismo por um dia

EJA - Disciplina é aplicada para os alunos do Ciclo II, numa iniciativa do Programa Mais Oportunidades



Rita, Maria de Lourdes e Lucineia têm histórias de vida semelhantes

Compatilhar:

Rita, Maria de Lourdes e Lucinéia têm histórias de vida semelhantes. As três não tiveram oportunidade de estudar, pois, ainda muito jovens, precisavam trabalhar e ajudar no sustento de casa. Após muitos anos, decidiram que era hora de retornar aos estudos na Educação de Jovens e Adultos (EJA) de Itanhaém e tiveram uma oportunidade única: ser professoras por um dia e compartilhar em sala de aula aquilo que sabem fazer.

Confira as fotos

Aula de Empreendedorismo - EJA

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

As três estudam na EM Célia Marina Dal Pozzo Borges, no Umuarama, e estão ensinando os colegas de classe a fazer tempero e sabão caseiro. As atividades fazem parte das aulas de Empreendedorismo, uma iniciativa do Centro de Treinamento Profissionalizante de Itanhaém (CETPI), do Programa Mais Oportunidades.

“Existem no Brasil vários nichos para que a pessoa possa ganhar o seu dinheirinho honestamente, fazendo um bom trabalho. Como o próprio nome já diz, estamos ensinando aos nossos alunos a empreender, desde como se formalizar até o plano de negócios, como montar uma empresa e como ser bem sucedido nela”, afirma o professor da turma, Adilson José Ranieri.

A doméstica Rita Barbosa Leite, de 43 anos, não teve oportunidade de estudar em sua cidade natal, Coité do Noia, em Alagoas. Atualmente, ela vende tempero caseiro para completar a renda e agora está ensinando a receita a suas colegas. Apesar da timidez, ela se orgulha em estar ajudando. “É bom poder ensinar, tirando a vergonha que eu estou. É uma coisa que eu faço para mim e posso ensinar as pessoas”.

Rita só conseguiu escrever seu próprio nome há pouco tempo, quando seu irmão mais novo a ensinou. Antes, ela só podia assinar documentos com a digital. “Eu só fui aprender a escrever e a ler há dois anos, com as aulas da EJA. Agora quero aprender a escrever melhor porque ler eu já consigo um pouquinho”. A aluna está bastante otimista: “Com fé em Deus eu vou conseguir”.

Já a manicure Lucinéia Olímpio da Silva, 37 anos, está ensinando as colegas de classe a fazer um produto que utiliza em sua casa, o sabão caseiro. “É maravilhoso compartilhar com todos, porque a gente aprende e ensina ao mesmo tempo. Isso é muito bom”. Ela também parou de estudar ainda muito jovem e retornou aos estudos há pouco tempo. “As aulas são maravilhosas, muito boas. A gente tem que se aperfeiçoar mais, para poder pegar um trabalho melhor e para se valorizar”.

Já sua colega de classe, Maria de Lourdes de Souza, de 51 anos, também faz sabão caseiro e tem um grande orgulho: seus dois filhos. Uma está se formando em nutrição e o outro concluiu Ciências da Computação. Agora, foi a vez dela ir para as salas de aula. “Eu sempre tive vontade de estudar, mas o tempo foi passando, precisava trabalhar, casei e tive filhos. Mas, agora, que eles estão criados, eu decidi voltar aos estudos”.

De aluna a professora por um dia nas aulas de Empreendedorismo, Maria de Lourdes deixa uma nova lição com a experiência: “A vida é um aprendizado, a gente está sempre aprendendo e ensinando”

CURSOS – Atualmente, mais de 370 alunos de Itanhaém estão matriculados na EJA, que oferece aulas em todos os níveis do Ensino Fundamental. Os estudantes do Ciclo I podem fazer o curso profissionalizante de Panificação e Confeitaria, com duração de um semestre, enquanto que os estudantes do Ciclo II têm a oportunidade de cursar Empreendedorismo, com duração de dois semestres.

Para realizar matrículas e obter mais informações sobre a EJA, entrar em contato com a escola mais próxima de sua residência ou na Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (Avenida Condessa de Vimieiros, 1.131, Centro), pelo telefone (13) 3421-1700.

 


Palavras-chave: , ,