Publicado em: 19/06/2017 - Última modificação: 22/06/2017 - 16:33
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Aos 91 anos, Lya Deluqui incentiva a leitura com contação de histórias

LITERATURA - Esta é uma das muitas ações realizadas no espaço para incentivar o hábito da leitura



Em mais de seis anos de trabalho, ela já foi a lugares como hospitais, orfanatos e casas de idosos para distribuir alegria

Compatilhar:

A contação de histórias incentiva a leitura das pessoas e a criatividade, numa viagem pelo mundo da literatura e imaginação. Aos 91 anos, Lya Deluqui Vasques proporcionou isso com a ‘Hora do Conto’ para os alunos do 4º B da EM Professora Silvia Regina Schiavon Marasca, na Sala de Leitura Harry Forssell. A atividade ocorreu na última terça-feira (20), no Centro Municipal Tecnológico de Educação, Cultura e Esportes (CMTECE).

Aos 91 anos, Lya Deluqui incentiva a leitura com contação de histórias

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Lya começou com a contação de histórias por meio de um curso que fez em São Paulo, chamado Conviver. E em mais de seis anos de trabalho, já foi a lugares como hospitais, orfanatos e casas de idosos para distribuir alegria.

“Eu sempre gostei muito de ler e também de histórias. Meus netos adoravam quando eu lia para eles. Há alguns anos atrás, vi uma equipe contar histórias no hospital, então eu pensei em fazer isso para ajudar as pessoas necessitadas. Faço isso com muita alegria e sempre digo: quem lê não tem solidão”, disse Lya.

Suas histórias, contadas com o auxílio e uso de acessórios e roupas relacionados aos contos, despertam a curiosidade, imaginação e criatividade de quem está assistindo. No final de cada uma, uma mensagem sempre é passada para o público, de onde sai o significado da história.

Lya também diz que adora vir à Cidade, também para visitar com a família. “Gosto de vir aqui para Itanhaém, porque além de eu e minha família gostarmos muito da Cidade, adoro contar histórias para as crianças, usar acessórios, porque isso estimula a imaginação e criatividade e elas prestam mais atenção também. Adultos, crianças e adolescentes também participam e, no final, sempre passo uma mensagem, a moral da história como uma fábula. O meu maior incentivador é o marido, que me apoia, escreve algumas histórias para mim e sempre está do meu lado”.


Palavras-chave: , , ,