Publicado em: 05/07/2017 - Última modificação: 07/07/2017 - 17:49
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Ventos e paisagens: Itanhaém é um lugar propício para o kitesurf

ESPORTE - Graças aos seus aspectos naturais, a Cidade recebe grupos de diversos locais



O esporte foi criado em 1985 e, desde a década seguinte, tem ganhado popularidade nos municípios costeiros

Compatilhar:

As belezas naturais de Itanhaém já são um atrativo e tanto para quem deseja um passeio ao ar livre. Entretanto, algumas dessas paisagens oferecem muito mais do que o aspecto visual, como as praias e a Boca da Barra. Uma modalidade que faz bom uso das águas é o kitesurf, que também ajuda a colorir ainda mais os céus da Cidade.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Confira as fotos

Ventos e paisagens: Itanhaém é um lugar propício para o kitesurf

O esporte foi criado em 1985 e, desde a década seguinte, tem ganhado popularidade nos municípios costeiros. O grande diferencial é a “pipa” (em inglês, “kite”), que fica presa no corpo do atleta por meio de cordas, como forma de impulsioná-lo. Os modelos coloridos podem ser vistos de longe. Já a similaridade com o surfe, pelo fato de ser praticado com uma prancha, também atrai interessados. Entretanto, o equipamento em si é um pouco diferente: no caso do kitesurf, as pranchas costumam ter alças para os pés.

As próximas gerações da Cidade já começam a descobrir a prática. João Pedro Marcatto Benetton, de 15 anos, é um dos exemplos disso. “A primeira aula que eu fiz de kitesurf foi há três meses. Dei sorte, porque recentemente tem acontecido com frequência de ter vento suficiente para praticar. Neste ano, estamos andando direto. Geralmente, cada sessão dura de 40 minutos a uma hora, e às vezes andamos até de noite, aproveitando a iluminação de locais como a Boca da Barra”.

As atividades, por sinal, não se concentram apenas no Centro. “As condições variam muito. Já praticamos kitesurf na Praia dos Sonhos e no Cibratel, por exemplo”. O vento é elemento fundamental na prática do esporte, por isso, o grupo precisa de uma boa dose de sorte. “Temos um grupo na internet e sempre combinamos de ir para um determinado local quando as condições de vento são favoráveis. Por isso, dependemos das previsões do tempo, e combinamos em cima da hora”.

Itanhaém tornou-se um cenário tão propício que grupos de diversos locais, como São Paulo e o ABC Paulista, vêm para a Cidade em busca da atividade. E são muito bem recebidos pelos colegas caiçaras. É o caso de Renato Balbino, que é do Ceará, mas atualmente vive em São Paulo.

“Venho aqui para velejar há muito tempo. A primeira vez foi há uns seis ou sete anos. A comunidade do kitesurf espalha as notícias sobre bons lugares para praticar o esporte”, disse. “Se você quiser treinar manobras, a Boca da Barra é perfeita, por conta do nível da água”.

Sobre as condições para desempenhar a atividade, Renato explica: “Para realizar manobras Freestyle, é preciso pelo menos uns 30 km/h. Mas para o velejo de curtição, a partir de 20 km/h já é possível praticar. Em pranchas com hidrofólio, 10 km/h já são suficientes”.

NOVA ORLA – Entregue à população no final de 2014, a Nova Orla de Itanhaém tem traços turísticos e se apresenta como um dos pontos mais movimentados aos fins de semana. A Nova Orla é um chamariz para a prática de atividades físicas como, por exemplo, caminhadas, passeios de bicicleta, patins e skate, além do próprio kitesurf e outras modalidades praticadas na água. Alias, no local, há internet gratuita do programa municipal Itanhaém Conectada.


Palavras-chave: , , ,