Publicado em: 27/09/2017 - Última modificação: 27/09/2017 - 18:07
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Projeto resgata autoestima e orgulho de cultura local em alunos da Rede Municipal

EDUCAÇÃO - Trabalho foi reconhecido e professora premiada durante Olimpíadas de Língua Portuguesa



Professora foi a única da região Sudeste a ser premiada nas Olimpíadas de Língua Portuguesa

Compatilhar:

Criar autoestima e fortalecer o vínculo com a sua história e com a cultura indígena de Itanhaém foram alguns dos principais objetivos da professora de Língua Portuguesa, Daniela Aparecida Vieira Borges, de 36 anos, da Escola Municipal Noêmia Salles Padovan. Os resultados foram expressivos: o orgulho de sua origem nasceu no coração de cada criança. Além disso, todos realizaram leituras e escreveram textos sobre histórias do passado. O projeto, intitulado ‘Aldeia Global’, foi reconhecido, e a professora a única da região Sudeste a ser premiada nas ‘Olimpíadas de Língua Portuguesa – Escrevendo o Futuro’.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

O projeto começou com os alunos entrevistando a coordenadora pedagógica, Izevan dos Santos. A entrevistada relatou suas memórias da infância e juventude, contando que morava em um sítio. Muitos alunos moradores da área rural se identificaram com o relato. Após isso, os estudantes visitaram a Aldeia Piaçaguera e os índios visitaram a escola.

De acordo com a professora Daniela, a troca de experiências com as pessoas que viveram em Itanhaém no passado, além do conhecimento da cultura indígena, emocionou a todos. “Senti-me muito abençoada de estar vivendo isso junto com todos esses alunos. Ver o brilho no olhar de cada um foi uma sensação única”, contou.

Após isso, todos foram desafiados a escrever sobre a história de algum integrante da tribo ou um morador antigo do Município. Com esforço, textos surpreendentes começaram a surgir e, um deles, inclusive, recebeu medalha de bronze na Olimpíada de Língua Portuguesa. Foi o da aluna Júlia da Costa Cunha, de apenas 14 anos.

Segundo a estudante, o hábito de ler e de escrever é algo que ela gostou de fazer, mas não esperava ser premiada. “Fiquei me sentindo realmente feliz, porque foi um trabalho feito com muito amor. Conhecer essas histórias do passado foi emocionante e enriquecedor”, afirmou.

A professora Daniela relatou todo o trabalho realizado e como isso afetou o dia a dia da escola. O seu texto foi escolhido, e a professora a única premiada de toda a região Sudeste, já que a Olimpíada escolhe uma educadora de cada região do Brasil. “Quando falaram meu nome, eu não acreditava, me senti flutuando. Viajei para Fortaleza junto com a Júlia para recebermos o prêmio. Foram dias emocionantes, de muito estudo e palestras”, completou.

A estudante Milena Vitória da Silva Souza, de apenas 15 anos, também participou do projeto e visitou a aldeia. “Foi a experiência mais incrível que vivi, não tenho palavras. Contar a história de um morador também me emocionou muito, achei tudo maravilhoso. Como eu já gostava de ler, foi um pouco mais fácil”, afirmou a estudante.


Palavras-chave: , , ,