Generic selectors
Resultados exatos
Buscar por títulos
Buscar por conteúdo
Buscar
Buscar em páginas
Filtrar por categorias
Administração
Assistência e Desenvolvimento Social
Comunicação Social
Desenvolvimento Econômico
Educação
Fazenda
Fundo Social
Gestão e Controle
Governo Municipal
Habitação
Leia Mais
Mais Notícias
Negócios Jurídicos
Obras e Desenvolvimento Urbano
Planejamento e Meio Ambiente
Relações do Trabalho
Saúde
Sem categoria
Serviços e Urbanização
Trânsito e Segurança Municipal
Turismo
Publicado em: 06/11/2017 - Última modificação: 08/11/2017 - 18:32
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Investimento: aeroporto de Itanhaém é entregue à iniciativa privada

DESENVOLVIMENTO - Entre as novidades previstas pelo Voa São Paulo estão investimentos nos sistemas de pistas, pátios e sinalização



Desde a assinatura do Governo do Estado em julho, o local vinha sendo administrado em operação assistida com o DAESP

Compatilhar:

Agora é definitivo: o Aeroporto Antônio Ribeiro Nogueira Júnior, de Itanhaém, passou a ser administrado de forma integral pelo consórcio Voa São Paulo, que venceu a licitação da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) em março deste ano. Desde a assinatura do Governo do Estado de São Paulo em julho, o local vinha sendo administrado em operação assistida com o Departamento Aéreo do Estado de São Paulo (DAESP), que agora fica responsável pela fiscalização técnica e operacional.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Entre as novidades previstas estão: investimentos nos sistemas de pistas, pátios e sinalização, reformas dos terminais de passageiros, modernização de hangares e implantação de equipamentos para garantir a segurança aos voos. Atualmente, a pista tem 1.350 metros – que será expandida para 1.560 – e terminal de passageiros com 1.560 m² (sendo 500 m² do DAESP e 1.060 m² da Petrobras), com estacionamento para 50 veículos. No total, o aeroporto de Itanhaém receberá R$ 18 milhões ao longo dos trinta anos de contrato.

A administração também envolve os aeroportos Gastão Madeira (Ubatuba), Comandante Rolim Adolfo Amaro (Jundiaí), Campo dos Amarais (Campinas) e Arthur Siqueira (Bragança Paulista). O concessionário deve investir cerca de R$ 105 milhões no conjunto. Além das atividades aeroportuárias, o consórcio poderá explorar a capacidade imobiliária e de oferta de serviços como, por exemplo, implantar centros de convenções, hotéis, cafés, restaurantes e lojas.

O Voa São Paulo é formado por empresas das áreas de engenharia, transporte, petróleo, energia e aeroportos. São elas: Terracom Construções (líder do grupo com 42,5% das ações), Estrutural Concessões de Rodovias (29,51%), MPE Engenharia e Serviços S.A. (15%), Nova Ubatuba Empreendimentos e Participações LTDA (12,5%) e ALC Participações e Empreendimentos (0,49%).

NÚMEROS – De acordo com a última atualização do DAESP, de setembro, 8.940 passageiros e 12.419 aeronaves já passaram pelo local em 2017. A expectativa é de que a movimentação aumente com a entrada da concessionária. Já no total do ano passado, foram 13.479 passageiros e 11.538 aeronaves, sendo o 4º mais movimentado da rede do Estado neste período; em 2015, o Aeroporto de Itanhaém foi o 5º colocado.


Palavras-chave: , , , ,