Generic selectors
Resultados exatos
Buscar por títulos
Buscar por conteúdo
Buscar
Buscar em páginas
Filtrar por categorias
Administração
Assistência e Desenvolvimento Social
Comunicação Social
Desenvolvimento Econômico
Educação
Fazenda
Fundo Social
Gestão e Controle
Governo Municipal
Habitação
Leia Mais
Mais Notícias
Negócios Jurídicos
Obras e Desenvolvimento Urbano
Planejamento e Meio Ambiente
Relações do Trabalho
Saúde
Sem categoria
Serviços e Urbanização
Trânsito e Segurança Municipal
Turismo
Publicado em: 15/03/2018 - Última modificação: 20/03/2018 - 16:58
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Qualidade de vida em viver com o Conviver é segredo para a longevidade

MELHOR IDADE - Atividades acontecem diariamente na Rua Urcezino Ferreira, 548, na Boca da Barra



Quem frequenta o Grupo Conviver esbanja energia e alegria

Compatilhar:

Quando pensamos em qualidade de vida, o que logo vem à mente? Hábitos saudáveis, não é mesmo? E para aproveitar a programação desenvolvida pelo Grupo Conviver precisa ter pique, do início ao fim. É exatamente isso o que tem feito homens e mulheres, com idade superior a 50 anos, que se envolvem diariamente nas ações oferecidas pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. Na prática, o segredo para a longevidade está relacionado aos cuidados com o corpo e com a mente, que se tornaram mantras para quem se permite viver a melhor idade.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Confira as fotos

Conviver

Tem para todos os gostos. Desde dança cigana, dançaterapia, caminhada, power mix (funcional), reforço de alfabetização, jogos de mesa, zumba, alongamento, vôlei, pintura em tela e tecido, bocha, yoga, reiki, curso de crochê, caligrafia, até academia, ajudando no processo de envelhecimento e no condicionamento físico. O espaço fica na Rua Urcezino Ferreira, 548, na Boca da Barra.

Os que frequentam o Grupo Conviver esbanjam energia e alegria. “A melhor coisa do mundo foi o Conviver”, conta Benedita Maria da Silva, de 61 anos. Ela teve o primeiro contato só após indicação médica. Antes de conhecer e participar das atividades, a “jovem senhora” passou 20 anos indo a hospitais e tomando remédios, devido às dores pelo corpo. “As atividades mudaram definitivamente a minha vida para melhor”. Ela ainda brinca: “Agora, só vou marcar a consulta para matar a saudade do médico. Sobrou até energia para eu cuidar dos meus netos”.

Outra participante assídua das atividades é Ieda Pereira dos Santos, de 62 anos, que chegou ao local com dificuldade de locomoção após os três derrames que teve desde os 46 anos. “No primeiro dia que eu estive aqui, no Conviver, eu estava passando muito mal. E coincidentemente era dia de aula de yoga. Nossa, foi uma maravilha”, explica a moradora do bairro Nossa Senhora do Sion. “Hoje em dia, não tenho mais dores e quando surge uma, basta participar das aulas de zumba que tudo melhora”.

Todas concordam com um pensamento: a vida melhorou após frequentar o Conviver. “Além das atividades que ajudam muitas pessoas que entraram em depressão, fazemos novas amizades”, explica Emery Rodrigues de Oliveira, de 78 anos.


Palavras-chave: , , ,