Generic selectors
Resultados exatos
Buscar por títulos
Buscar por conteúdo
Buscar
Buscar em páginas
Filtrar por categorias
Administração
Assistência e Desenvolvimento Social
Comunicação Social
Desenvolvimento Econômico
Educação
Fazenda
Fundo Social
Gestão e Controle
Governo Municipal
Habitação
Leia Mais
Mais Notícias
Negócios Jurídicos
Obras e Desenvolvimento Urbano
Planejamento e Meio Ambiente
Relações do Trabalho
Saúde
Sem categoria
Serviços e Urbanização
Trânsito e Segurança Municipal
Turismo
Publicado em: 21/03/2018 - Última modificação: 21/03/2018 - 18:54
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Reunião intersetorial discute febre amarela e outras doenças transmitidas por vetores

SAÚDE - Encontro teve a presença de representantes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) e do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE-Santos) e do estado de São Paulo



Durante a reunião, alguns dados foram apresentados como o número de casos de dengue, zika e chikungunya na baixada santista e a cobertura vacinal da febre amarela em todo o estado

Compatilhar:

Nesta terça-feira (21), secretários e representantes da Prefeitura de Itanhaém reuniram-se para discutir a situação das arboviroses (doenças causadas pelos chamados arbovírus, que incluem o vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela) em Itanhaém. O encontro teve a presença ainda de representantes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) e do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE-Santos), do Estado de São Paulo.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Confira as fotos

Reunião intersetorial Arboviroses

“As arboviroses estão em foco com a febre amarela. Por isso é preciso um envolvimento de todos para combater e prevenirmos as doenças causadas pelos mosquitos. Não podemos baixar a guarda, precisamos minimizar o ciclo para não termos epidemia em nossa Cidade”, destacou o secretário Municipal de Saúde, Fabio Crivellari Miranda.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Maria Aparecida da Silva, explicou o ciclo do vírus: “Nossa preocupação agora é com a febre amarela. Estamos em uma área metropolitana e as pessoas transitam de uma região para a outra. É desta forma que o vírus circula, por isso a meta é retomarmos os mutirões nos bairros”.

Durante o encontro, alguns dados foram apresentados como o número de casos de dengue, zika e chikungunya na Cidade e baixada santista; a cobertura vacinal da febre amarela em todo o estado (46% do público alvo foi imunizado) e ainda esclarecimentos sobre a vacina contra a doença e monitoramento dos mosquitos transmissores das enfermidades.


Palavras-chave: , , ,