Serviços
acessibilidade



Publicado em: 07/05/2018 - Última modificação: 16/11/2020 - 12:41
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Livro “Eu, Ìyáwo” será lançado nesta sexta-feira na Biblioteca

OBRA - A autora, Érica Jorge, realizará um bate-papo com os presentes sobre as religiões afro-brasileiras e o seu papel na luta contra o racismo



Com linguagem acessível e sensível (e não menos respeitosa à sua tradição religiosa), o leitor é levado para uma casa de candomblé

Compartilhar:

Nesta sexta-feira (11), a Biblioteca Municipal Paulo Bomfim receberá o lançamento do livro “Eu, Ìyáwo”, de autoria de Érica Jorge. O evento será aberto ao público, a partir das 19 horas. A autora da obra realizará um bate-papo com os presentes sobre as religiões afro-brasileiras e seu papel na luta contra o racismo. O espaço fica na Rua Cunha Moreira, 71, Centro.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

“Eu, Ìyáwo” nasceu da vontade de compartilhar experiências e sensações vividas em uma iniciação no candomblé “jeje-nagô”, chamada usualmente de “feitura de santo”. Nele, a autora convida a conhecer os anseios, expectativas e as histórias de quem viveu, juntamente com sua filha de apenas cinco anos, 21 dias recolhida no “hunkọ” ‒ quarto sagrado dentro do terreiro ‒ durante a iniciação.

Com linguagem acessível e sensível (e não menos respeitosa à sua tradição religiosa), o leitor é levado para uma casa de candomblé, onde passa a observar e entender a estrutura, hierarquia, beleza, música, dança e magia presentes nesse universo. Érica foi iniciada com sua filha de cinco anos e mais três irmãs de santo, que estão presentes no livro. Seus pensamentos, sentimentos e experiências dão contorno a esta obra, cuja narrativa permite desmistificar preconceitos ainda tão arraigados.

Ainda na noite de sexta (11), acontecerá uma conversa sobre “Racismo no Brasil: as religiões afro-brasileiras como políticas de resistência”, com o intuito de demonstrar a conjuntura sócio-histórica responsável pelo racismo no país e as formas encontradas pelas religiões afro-brasileiras como resistência a esse cenário. A educação, a cultura e a arte são colocadas em diálogo visando o respeito às tradições africanas e afro-brasileiras.

AUTORA – Érica é bacharela e licenciada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), bacharela e especialista em Teologia Afro-brasileira pela Faculdade de Teologia com ênfase em Religiões Afro-brasileiras (FTU), mestra e doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal do ABC (UFABC). É professora de Língua Portuguesa para Ensino Médio e também ministra para o Ensino Superior. “Os títulos estão longe de me traduzir”, afirma. “Vejo-me como uma amante da literatura, poesia, das artes e da vida. Gosto de viajar com os autores, ler histórias fictícias e reais, conhecer lugares, pessoas e aprender com eles”.


Palavras-chave: , , ,