Serviços
acessibilidade



Publicado em: 05/09/2018 - Última modificação: 16/11/2020 - 12:31
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Encontrou algum animal marinho na praia? Saiba o que fazer

MEIO AMBIENTE - É preciso cuidados específicos quando encontrados em estado delicado.



Compartilhar:

Recentemente se tornou maior o número de animais mortos encontrados nas praias da região. No mês de agosto, em Guarujá e Bertioga, 12 bichos foram avistados e alguns em estado avançado de decomposição, que posteriormente foram recolhidos pelo Instituto Gremar. Com o aumento destes casos é necessário que a população saiba quais as atitudes corretas a serem tomadas quando avistarem um caso parecido.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

“Há muitos anos são registradas aparições de animais mortos em toda a costa brasileira. E justamente, por este fato, o Instituto Gremar foi fundado em 2004, e desde então realiza os registros dos que são resgatados vivos, e levados para reabilitação, além de necropsia dos encontrados em óbito“ explica Rosane Farah, integrante do Instituto.

Diariamente são encontrados nas praias de Itanhaém animais mortos e 90% destes que são achados debilitados (com vida ou não) foram prejudicados, a partir de uma interação com resíduos sólidos, lixo ou pesca. Geralmente quando são encontrados vivos nas praias a população tem o hábito de empurrar o animal de volta para o mar. Este costume é prejudicial para a vida do bicho que já se encontra frágil e muitas vezes sem forças para voltar a viver independentemente na água.

“Um exemplo são as tartarugas marinhas. Nossa região não é área de desova, ou seja, elas permanecem o tempo todo na água e aproveitam o nosso costão, que é rico em alimentos. Então se há uma tartaruga encalhada na faixa de areia, ela está debilitada, e pode acabar vindo a óbito por asfixia hídrica, ou seja, afogada, caso a devolvam para a água, pois doentes não possuem energia suficiente para subir à superfície e respirar”, explica Rosane Farah.

Para não causar maiores danos à vida do animal encontrado machucado é importante entrar imediatamente em contato com o Gremar. Enquanto integrantes do Instituto não chegarem ao local deve-se manter uma distância mínima do bicho, para que ambos mantenham-se seguros. A equipe acionada fará a devida avaliação para saber se será necessária ou não a intervenção médica e, caso seja, o animal será encaminhado para o Centro de Reabilitação.

GREMAR – O Gremar realiza diversas ações com equipes de monitoramento, resgate, reabilitação de animais em praias do litoral paulista, além de atividades de educação ambiental. Fundado no Guarujá a instituição oferece cursos para profissionais da área de ciências biológicas, medicina veterinária, oceanografia e gestão ambiental. Atualmente a organização contém um centro especializado em tratamento de animais marinhos, o primeiro do Estado.

Em Bertioga foi inaugurado em 2013 o Centro de Recepção e Triagem de Animais Marinhos (CETAS), que fica localizado na Base de Monitoramento Ambiental. No ano de 2016 foi implantada em Itanhaém a Base de Reabilitação na Praia dos Pescadores. O local conta com tanques para abrigar quelônias (répteis da ordem Chelonia, como tartarugas marinhas e de água doce e cágados que vivem em água doce) e pequenos mamíferos, além de um ambulatório para atendimento e recinto para aves. No Município a sede do Instituto fica na Avenida Presidente Vargas, 611, Centro.

 


Palavras-chave: , ,