Serviços
acessibilidade



Publicado em: 25/09/2018 - Última modificação: 16/11/2020 - 12:31
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Lutador nos ringues e na vida; Conheça o atleta que, surdo, luta de igual para igual

SUPERAÇÃO - A deficiência não o impediu de procurar aprender mais sobre o que tanto gostava: o muay thai. Hoje, “Ronaldo sem ideia”, é bi campeão paulista



Pelo projeto ‘Aqui tem esporte’, Ronaldo treina duas vezes por semana no Ginásio de Artes Marcias do Belas Artes.

Compartilhar:

“Está dizendo que ele observava muito a academia. Observava e gostava, então aprendia só ao olhar”, conta Raul Fagundes, interpretando o que o lutador Ronaldo Juliano, conhecido nas lutas como ‘Ronaldo sem ideia’, lhe dissera pela linguagem de sinais. O jovem, de 20 anos, é surdo desde que nasceu, mas isso não o impediu de procurar aprender mais sobre o que tanto gostava: o muay thai. Pelo contrário, a perda da audição só apurou os outros sentidos de Ronaldo, que segundo seu treinador, possui o reflexo e o olho muito aguçados. Em consequência dos treinos e dedicação, mesmo sem categoria específica para deficientes, o atleta luta de igual para igual, e hoje é bi campeão paulista de muay thai nos anos de 2017 e 2018.

 Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram e no Facebook

Ronaldo conta que sua maior dificuldade é a comunicação com o treinador no momento da luta. Pela falta de conhecimento do professor sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras), as instruções não ficam tão claras. Além disso, os gritos de recomendação que outros atletas ouvem durante a luta e ele não, é outro obstáculo para o jovem lutador.

Na última competição que participou, cortou o supercílio e consequentemente, teve que abandonar o ringue. Mesmo assim, o atleta conta sorridente, o começo de sua paixão pelo esporte. Quando pequeno, o itanhaense morava em frente a uma academia de luta, então, sempre observava a movimentação e tentava aprender sozinho, já que, por ser surdo, tinha receio de perguntar se havia possibilidade de também treinar.

Quando o jovem completou 17 anos, sua mãe foi conversar com os professores da academia para ver se ele poderia treinar. Para sua surpresa, os professores avisaram que não tinham outros alunos com a deficiência, mas que Ronaldo poderia ser o primeiro.

Desde então, o treinador Eduardo Vieira, de 36 anos, acompanha o atleta. “A maior dificuldade dele é cumprir a dieta exigida para os campeonatos de alto nível em que ele já participa, mas Ronaldo tem um futuro brilhante pela frente, pois desenvolve muito bem seus outros sentidos. Além disso, ele já entrou na academia levando jeito”, explica o professor, que também é amigo.

Aliás, o atleta conquistou a amizade de muitas pessoas do meio esportivo. Segundo o intérprete e o treinador, ele é adorado por todos, que sempre ajudam e torcem pelo jovem. Por isso, o lutador agradece as pessoas: “todos são responsáveis por uma parcela”, diz referindo-se às vitórias em que ele alcançou, e as que estão pela frente, já que se vê lutando muito mais no futuro. Raul, seu intérprete, brinca por intermédio das libras: “você irá ter fãs”. Tímido, Ronaldo ri e diz que pretende tomar mais cuidado nas próximas lutas.

Se depender de sua paixão e dedicação, Ronaldo com certeza irá autografar para muitos fãs. Ele treina pelo projeto ‘Aqui tem esporte’, duas vezes por semana, no Ginásio de Artes Marciais do Belas Artes. Seu próximo campeonato será no dia 1º de dezembro, onde irá lutar pelo ‘Campeonato Brasileiro de Muay Thai 2018’.


Palavras-chave: , , ,