Serviços
acessibilidade



Publicado em: 30/04/2019 - Última modificação: 16/11/2020 - 11:51
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Empenhado para a população, CEMI atendeu mais de 15 mil pessoas somente em abril

QUALIDADE - Desde a inauguração do novo prédio do Centro de Especialidades, os munícipes são cuidados dentro da própria Cidade



Para ser atendido no CEMI, o encaminhamento clínico é feito em uma das Unidades de Saúde da Família (USFs) do Município

Compartilhar:

Poucos meses depois da inauguração, novo espaço onde está instalado o Centro de Especialidades Médicas de Itanhaém (CEMI) já apresenta bons números. Equipado e espaçoso, o equipamento da Secretaria de Saúde contabilizou 15.519 atendimentos somente no mês de abril deste ano. Dentre as 25 especialidades ofertadas no Centro, as maiores buscas foram por ortopedia (1.084 agendamentos), cardiologia (524) e gastroenterologia (337). Detalhe: os números em questão não consideram as faltas.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

Atualmente, os munícipes são cuidados dentro da própria Cidade. O Centro de Especialidades com novos equipamentos, mais modernos e de última geração, pode realizar diagnósticos por diversos meios: raio-x, ultrassom, ecocardiograma, eletrocardiograma, etc. Antes da existência deste equipamento, muitos casos, mais complexos, necessitavam ser encaminhados aos centros de referência em outros Municípios.

Para ser atendido no CEMI, o encaminhamento clínico é feito em uma das Unidades de Saúde da Família (USFs) do Município. Assim, o paciente poderá ter um atendimento mais especializado. No mesmo ambulatório do Centro de Especialidades, sediam-se também o Centro Municipal de Reabilitação (CMR) e a Fisioterapia Municipal, que atendem a população das 7 às 18 horas, de segunda a sexta-feira, na Rua Expedicionário Poitena, 21, no Centro.

 Leia mais
Pela proteção das crianças e adolescentes, Programa Cuidar realiza reunião
Mutirão de combate à dengue ocorre em diversos bairros do Município

PROBLEMA

Considere a grande quantidade de faltas às consultas e exames pré-agendados, sem justificativa ou aviso prévio. Qual seria a consequência disto? A coordenadora administrativa do Centro de Especialidades, Mirian Teixeira, ensina que: “as faltas acabam por manter estática a demanda de espera por novas consultas ou exames, e até aumentam-na, pois a consequência é voltar para o final da fila de espera ou tentar um encaixe”.

Em relação aos encaminhamentos para fora do Município, não é diferente. Segundo registros da Secretaria, os números mostram que somente neste ano, até fevereiro, 712 pacientes de Itanhaém faltaram às consultas e 603 deixaram de comparecer para realizar os exames nos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AME) de Praia Grande e de Santos, e no Hospital Guilherme Álvaro. Este último apontamento é declarado de um total de 2.387 exames agendados, ou seja, em 25% dos agendamentos nas referências fora do Município ocorreu a ausência do paciente.

Outro ponto que vale a pena esclarecer é que, com esta grande quantidade de faltas, há diminuição da oferta de vagas. Quem perde, além do próprio paciente, é a Cidade, que fica impossibilitada de oferecer um serviço mais ágil à população. “O problema não é faltar. É não justificar com antecedência. Desta forma, seria possível passar a vaga adiante e esta não seria inutilizada”, alerta a Coordenadora da CRV.

ORIENTAÇÃO

Paciente: saiba que é muito importante manter o cadastro atualizado em sua respectiva Unidade de Saúde, principalmente o número de telefone para contato mais rápido e eficiente; outro ponto é a justificativa de ausência. Caso não haja possibilidade de comparecer no dia da consulta ou exame, basta entrar em contato com a USF e informar. Desta forma, a equipe poderá remarcar e passar a vaga remanescente para outro paciente.


Palavras-chave: , , , ,