Serviços
acessibilidade



Publicado em: 04/05/2019 - Última modificação: 16/11/2020 - 11:51
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Após cinco anos, cápsula do tempo reúne estudantes

MEMÓRIAS - Encontro ocorreu na EM Maria Graciette Dias no último dia 26



Após cinco anos, os ex-estudantes retornaram à escola para resgatar o que haviam guardado na caixa

Compartilhar:

Lágrimas escorreram dos olhos da jovem Camilly Alves de Toledo, de 14 anos, ao ler a carta que escreveu em 2014 sobre os bons momentos que passou ao lado da melhor amiga de infância. Na sala de aula, um bate-papo sobre o futuro e as profissões desejadas por alunos do 5º ano da EM Maria Graciette Dias impulsionou a elaboração do projeto ‘Cápsula do Tempo’, idealizado pela professora Marlene Carraro Mucsi. Após cinco anos, os ex-estudantes retornaram à escola para resgatar o que haviam guardado na caixa. O reencontro, marcado por muita emoção, ocorreu no dia 26 de abril.

Confira as fotos

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

A princípio pensaram em enterrar a caixa no terreno da escola, mas os alunos e a professora Marlene decidiram, por unanimidade, guardá-la com um dos estudantes, assim preservariam o conteúdo da cápsula. Rogéria Patrícia Stefano Cardoso Ventura, mãe do aluno Pedro Henrique Cardoso Ventura, se prontificou a guardar a caixa em sua casa, preenchida por fotos, cartas e outros objetos.

Leia mais
EM Maria Graciette Dias comemora 10 anos de existência

“Foi um momento muito bom, principalmente pela nostalgia e a saudade que senti deles e das professoras. Essas pessoas marcaram bastante a minha vida”, conta Pedro Henrique Cardoso Ventura, de 15 anos. O adolescente confessa que não lembrava o que havia guardado na caixa. “Fiquei até com medo do que poderia vir”, brinca. “Não me lembrada do que poderia encontrar”.

A carta que Pedro Henrique escreveu sobre a turma do 5º ano foi lida no microfone pela sua mãe, Rogéria Patrícia Stefano Cardoso Ventura. “Foi uma forma de mostrar que o que vivemos foi muito importante. Com eles, as coisas eram mais fáceis e tudo era mais feliz”, conta o jovem.

A adolescente Camilly se surpreendeu ao encontrar na caixa uma carta, pois acreditava ter guardado um elástico de prender cabelo”. A emoção tomou conta da jovem: “Além de revelar o quanto eu era grudada com a minha amiga, a carta tinha um desenho. Foi neste momento que não consegui segurar a emoção e chorei”.

A professora Marlene Carraro Mucsi comentou sobre o momento. “Reencontrar a turma que fez parte de nossa vida é algo emocionante”. Para encerrar a noite de forma especial, uma lembrancinha em formato de ‘certificado’ foi entregue aos 17 estudantes, que hoje cursam o Ensino Médio.


Palavras-chave: , ,