Serviços
acessibilidade



Publicado em: 29/01/2020 - Última modificação: 16/11/2020 - 10:38
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Programa Praia Acessível faz parceria com a APAE e promove novas experiências

SOCIAL - Com as cadeiras anfíbias, é possível que pessoas com mobilidade reduzida aproveitem o mar



Integrantes da APAE aproveitam a praia do Cibratel

Compartilhar:

Com o intuito de proporcionar oportunidades de diversão às pessoas com mobilidade reduzida, o Programa Praia Acessível fornece cadeiras anfíbias que são utilizadas por cadeirantes para se refrescar no mar. No último dia 24, integrantes da Associação de Pais e Amigos Excepcionais (APAE) de Itanhaém aproveitaram o calor na praia.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

“O projeto começou com uma iniciativa da Associação Amigos Metroviários Excepcionais (AME), em parceria com o Governo do Estado, para a distribuição de cadeiras anfíbias pelos municípios do litoral”, afirmou Benigno Ferreiro Rodrigues, responsável pelo programa em Itanhaém. “Atualmente, os eventos acontecem durante a temporada nas praias do Cibratel, dos Sonhos e dos Pescadores”.

As cadeiras anfíbias permitem que a pessoa fique sentada com as pernas esticadas numa altura possível de aproveitar a água de uma forma segura. A estrutura dos equipamentos é feita de alumínio, um metal leve e de fácil mobilidade. Os pneus especiais permitem uma movimentação sem esforço na areia, não permitindo que afunde.

A APAE é uma associação que tem por objetivo acompanhar e auxiliar pessoas com deficiência em todos os âmbitos da vida, sejam eles educacional, social ou de capacitação profissional. A instituição existe desde 1954, e sua primeira sede foi criada no Rio de Janeiro. Atualmente está presente em mais de 2 mil municípios do país. Em Itanhaém, a associação está estabelecida desde 2008 e vem prestando serviços de assistência social na Cidade desde então.

Uma das educadoras da APAE, Cláudia Roberta Alves, se mostrou animada com a iniciativa: “proporciona uma enorme alegria aos meninos, uma experiência diferente de poder brincar na água de uma maneira segura, mas que se divirtam mesmo assim”.

No meio das dinâmicas que estavam sendo feitas com os integrantes da APAE, Joana de Siqueira juntou-se aos presentes. Ela trazia sua mãe, de 93 anos, que é cadeirante e tem alzheimer e há muito tempo não aproveitava um banho de mar. “É um enorme privilégio, pois é algo que eu não poderia fazer sozinha, só tenho a agradecer a esse projeto”.

 


Palavras-chave: , , , , , ,