Publicado em: 26/03/2020 - Última modificação: 27/03/2020 - 15:32
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Prefeitura pede suspensão de cortes de energia e água durante pandemia de coronavírus

ECONOMIA - Como medida alternativa, o texto sugere a possibilidade do parcelamento dos débitos pelo consumidor



A decisão foi tomada dentro de uma série de ações determinada pela Prefeitura para minimizar os impactos causados pelo vírus

Compartilhar:

Após decretar estado de calamidade pública na Cidade, o prefeito de Itanhaém Marco Aurélio Gomes pediu às concessionárias de energia elétrica e de saneamento básico a suspensão das ordens de cortes dos serviços de energia, esgoto e água por falta de pagamento enquanto durar a crise gerada pelo coronavírus. Como medida alternativa, o ofício enviado às empresas sugere a possibilidade do parcelamento dos débitos pelo consumidor.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagramno Facebook e no Twitter

A medida tomada em virtude do cenário de pandemia inclui uma série de ações determinada pela Prefeitura para minimizar os impactos causados pelo vírus, como resguardar a prestação dos serviços básicos de forma ininterrupta nos períodos de cumprimento de quarentena ou isolamento social.

O avanço do contágio, que poderá afetar inclusive a economia, levou ao fechamento temporário do comércio, especificamente de lojas de conveniências em postos de combustíveis, salão de beleza, barbearia, cabeleireiro, clínicas de estética, bares, restaurantes, lanchonetes e pizzarias.

O chefe do Executivo argumentou sobre a importância de se manter calmo durante o período de crise. “A decisão garante a continuidade do fornecimento de luz e água neste momento difícil. Peço a contribuição de todos para que permaneçam em casa porque está é a principal arma na luta contra esse inimigo invisível”.

O QUE FUNCIONA?

A determinação não se aplica às transações comerciais por meio de aplicativos, internet, telefone e os serviços de entrega em domicílio (“delivery”) e “drive-thru”. Além dos serviços online, permanecem abertos os hipermercados, supermercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas, farmácias e serviços de saúde, como hospitais, clínicas médicas, odontológicas e de fisioterapia, laboratórios de análises clínicas ou de imagem, clínicas veterinárias, lojas de venda de alimentação para animais, lojas de venda de água mineral, lavanderias e serviços de limpeza, serviços de segurança e vigilância privada, postos de combustíveis, oficinas de veículos automotores e serviços funerários.

 


Palavras-chave: , , ,