Serviços
acessibilidade



Publicado em: 22/12/2020 - Última modificação: 22/12/2020 - 17:51
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Primeira Delegacia de Defesa da Mulher de Itanhaém é entregue à população

PROTEÇÃO - Unidade é especializada no atendimento de pessoas do gênero feminino, crianças e adolescentes vítimas de violência física, moral e sexual



O governador João Doria e o secretário executivo da Segurança Pública Álvaro Camilo participaram da inauguração de forma virtual

Compartilhar:

Com a proposta de oferecer atendimento humanizado e especializado no atendimento de pessoas do gênero feminino, crianças e adolescentes vítimas de violência física, moral e sexual foi entregue à população, nesta terça-feira (22), a primeira Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Itanhaém. A unidade está instalada na Rua Leopoldo Araújo, 123, no Centro, ao lado da Seccional e funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

O governador João Doria e o secretário executivo da Segurança Pública Álvaro Camilo participaram da inauguração de forma virtual. “Nós apoiamos e agimos na proteção da mulher. Mais de 1/3 das delegacias da mulher do Brasil estão em São Paulo. Somos o primeiro governo do país a criar uma delegacia da mulher online e o a criar o SOS Mulher, programa premiado internacionalmente pela sua alta tecnologia, agilidade e custo zero”, destacou Doria.

Para o prefeito Marco Aurélio a parceria com o Governo do Estado tem ajudado muito a Cidade. “Os investimentos são em todas as áreas, não só na segurança pública como também no saneamento básico, na infraestrutura e até no fortalecimento do nosso aeroporto que passou a receber voos comerciais”, disse Marco.

A DDM será comandada pela delegada titular Evelyn Gonzalez Gagliardi, que terá em sua equipe uma investigadora, dois escrivães e um agente policial. O local é totalmente acessível, com recepção, brinquedoteca, sanitários públicos e adaptados para pessoas com deficiência, sala lilás para o atendimento exclusivo às vítimas, dois cartórios, sala para a delegada, para os investigadores, celas de custódia, além de uma edícula.

“Esse empreendimento é extremamente funcional, acolhedor e contará com uma rede de apoio envolvendo outras áreas de proteção social desse público. Nossas vítimas terão um atendimento individualizado”, destaca a delegada titular.

PROTEÇÃO

Agora, o Estado passa a contar com 136 unidades especializadas no combate a crimes cometidos contra pessoas do gênero feminino, crianças e adolescentes, ampliando a segurança da população. Além disso, todas as delegacias seguem o Protocolo Único de Atendimento, que estabelece um padrão para atender e acolher vítimas de violência doméstica.


Palavras-chave: , , ,