Cronologia Histórica


1531/2 Fundação da povoação de Itanhaém entre as margens dos rios Itanhaém e Peruíbe, provavelmente no dia 8 de dezembro…
1533 Edificação da ermida de barro dedicada a Nossa Senhora da Conceição, no morro de Itaguaçu, às margens do rio Itanhaém, com frente para Sudoeste, cujas escadas eram contados 83 degraus.Também nesta data é atribuído o início da construção do Colégio São João Batista, onde hoje se localiza a cidade de Peruíbe.
1535 Criada a Paróquia de São Vicente a 30.06, sendo a primeira da Capitania de São Vicente e tendo como pároco o Padre Gonçalo Monteiro, vindo com a esquadra de Martim Afonso de Sousa em 1532.
1549 Chegada dos jesuítas à região, atendendo a Capitania de São Vicente em toda a sua extensão.
1553 Presença de José de Anchieta, provavelmente em retiro de orações, na capela da Villa de Conceição de Itanhaém
1554-55 Morte do padre Leonardo Nunes, no mar de Santos, em um naufrágio. O Brasil perde seu primeiro missionário, chamado que fora a Portugal para relatar sobre sua missão a Inácio de Loyola, chefe da Congregação dos Jesuítas. Os colonos da aldeia de Conceição de Itanhaém estavam revoltados com a libertação que provocava o padre Leonardo Nunes, causando problemas à agricultura canavieira que começava a florescer às margens dos rios Itanhaém e Peruíbe, nas feitorias de João Castelhano Rodrigues e Pêro Corrêa.
1556 Os refugiados de São Vicente chegam a Itanhaém, pois a tribo dos Tamoios ocupava boa parte da porção da costa vicentina, de Iperoig à vila de Santos.
1560 Chega à Conceição de Itanhaém, a primeira imagem de Nossa Senhora da Conceição
1561 Muitos colonos portugueses abandonam a aldeia antiga, estabelecendo-se no aglomerado de casas da Vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém, às margens do rio Itanhaém, através de um plebiscito. A vila de Conceição de Itanhaém já obtém foro de Vila, Pelourinho e Câmara Municipal. Eleito juiz Pedro Cristóvão Gonçalves.
1563 Naufrágio de Hans Staden na costa paulista (?).
1564 Edificação de uma nova Igreja Nossa Senhora da Conceição, no local onde se erguia a ermida dedicada à santa, que introduziu no Brasil o culto dedicado a ela.
1614 A invasão dos franceses na costa chega a São Vicente, destruindo a Igreja Nossa Senhora das Naus, localizada no “Japuí”, antiga residência de Pêro Corrêa, que fora transformada em Igreja por ordem do padre José de Anchieta.
1615 Erguia-se na vila a Igreja de Santa Luzia, cujo caminho atendia também a construção do prédio da Casa de Câmara e Cadeia, o que resultou nos dias de hoje em seu completo desalinho em relação à situação das atuais ruas, tendo sua provável destruição em 1635.
1623 Os Camaristas da Vila de São Vicente, por ordem expressa do Governador Geral, davam posse ao Conde de Monsanto, à Capitania de São Vicente, abrangendo as vilas de São Vicente, Santos, São Paulo (Piratininga), Sant’Anna de Mogy, ilhas de Santo Amaro e São Sebastião.
1624 Em 7 de fevereiro torna-se donatária da outra parte da Capitania, a herdeira de Martin Afonso de Sousa, Marianna de Sousa Guerra, a Condessa de Vimieiros, com jurisdição sobre vasta região, desde Cabo Frio ao norte e Paranaguá ao sul, bem como sobre as vilas de São José dos Campos, Taubaté, Pindamonhangaba, Guaratinguetá e as povoações criadas nas lavras de Minas Gerais. A Vila de Conceição de Itanhaém torna-se “Cabeça de Capitania” da casa de Vimieiros.
1635 Descoberta do ouro na Capitania de Itanhaém, na região de Ribeira de Paranaguá. Destruição da Igreja de Santa Luzia, localizada mais próxima à praia, prédio que compunha com a Casa de Câmara e Cadeia o conjunto arquitetônico da antiga Rua São Francisco.
1639 Início da construção da Igreja Matriz dedicada a Sant’Anna, dentro da paliçada que circundava a Vila.
1654 Os jesuítas são expulsos da Vila de Conceição de Itanhaém ( e do Brasil ), devido ao conflito da escravização indígena. Os franciscanos substituem os jesuítas na Igreja Nossa Senhora da Conceição, à beira-rio do morro de Itaguaçu.
1699 Os franciscanos iniciam a construção de uma nova igreja e Convento no morro de Itaguaçu.
1700 Por Carta Régia, Conceição de Itanhaém torna-se Sede de Município.
1711 D.João V anexa as terras em litígio entre os Vimieiros e Monsantos, as Capitanias Paulistas aos domínios da Coroa. A vila de Itanhaém, foi instituída em baronia a favor de Manoel de Andrade Souto Maior.
1713 Conclusão das obras de construção do Convento e da Igreja Nossa Senhora da Conceição no morro de Itaguaçu.
1752 Os 83 degraus que davam acesso ao Convento são substituídos pelas ladeiras.
1761 Término de parte considerável da Igreja Matriz de Sant’Anna. A imagem de Nossa Senhora da Conceição é conduzida à Vila de Itanhaém.
1791 Extinção da Capitania de Itanhaém.
1799 Conclusão das obras de construção da Igreja Matriz de Sant’Anna.
1819 A Vila de Itanhaém é transformada em Baronia do Marquês de Souto Maior.
1829 Decide-se pela reconstrução da Casa de Câmara e Cadeia, sendo anexado ao prédio a parte frontal, encobrindo a escadaria que antes se situava na parte externa do mesmo.
1830 Os frades franciscanos abandonam o Convento, a Vila caíra em declínio desde a descoberta de ouro nas Gerais
1833 Destruição da Igreja e do Convento por um incêndio. O solitário frei, professor e padre, tendo solicitado ajuda para o espanto de morcegos, esqueceu-se do perigo das labaredas das tochas nas vigas cheias de cupins, a população foi insuficiente para debelar tamanho incêndio.
1835 A coroa de ouro de Nossa Senhora da Conceição é roubada e recuperada pela população da vila de Conceição de Itanhaém.
1837 Aparecem nas matas da região os chamados jaguanans, que emigravam das margens do rio Paraguai, mais de 30 anos haviam principiado a viagem.
1840 Chegada dos franciscanos a 25 de janeiro, em Itanhaém, estabelecendo-se no Convento.
1853 Nasce Benedito Calixto de Jesus, em 14.10, grande pintor e historiador itanhaense, introdutor da fotografia no Estado de São Paulo, teatrólogo.
1861 Início das obras de reconstrução do Convento e da Igreja em partes destruídas pelo incêndio.
1864 É estabelecido um cemitério ao lado do Convento dos franciscanos, entre a ladeira antiga e a nova rampa do Convento.
1866 Instalação da rede de telégrafo nacional, servindo futuramente de comunicação à frente brasileira na Guerra do Paraguai.
1868 Nasce Emidio Emiliano de Souza, em 03.09, pintor primitivista e teatrólogo.
1888 Fundação do Gabinete de Leitura, ao lado do Cruzeiro do Convento.
1895 Nasce o pintor Bernardino de Souza Pereira, em 03.09, na cidade de São Paulo.
1906 Itanhaém passa a chamar-se apenas Itanhaém através da Lei Estadual nº 1021 de 6 de novembro.  O antigo nome da cidade era Conceição de Itanhaém
1908 Inaugurada a primeira adutora de água por Carlos Botelho.
1909 Primeira viagem de automóvel a Itanhaém, realizada por Washington Luís.
1912 Rui Barbosa tenta chegar a Itanhaém, mas encalha no rio Mongaguá.
1913 Chega o primeiro trem de passageiros da Southern São Paulo Railway Company, em 21.12.
1923 Instalação da rede elétrica na cidade de Itanhaém.
1925 A Diocese de Santos recebe seu primeiro bispo, Dom José Maria Parreira Lara, em 18.04, à qual estava subordinada a Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém.
1927 Falece Benedito Calixto de Jesus em 31.05
1930 Revolução de Outubro e estabelecimento de uma Junta Governativa.
1932 O Gabinete de Leitura é invadido pelo exército paulista para abrigar soldados que vigiavam as cidades consideradas estratégicas. Com o abrigo de militares, muitas obras e cenários de teatro pintados por Benedito Calixto foram destruídos.
1938 Itanhaém perde parte de seu território para a formação do Distrito de Itariri.
1948 Criado o município de Itariri. Início do serviço de ônibus pela praia. Uma enchente de grande porte devasta a colônia japonesa localizada às margens do rio Itanhaém. Itanhaém é constituída em Estância Balneária através da Lei Estadual nº 163 de 27 de setembro.
1949 Falece Emídio Emiliano de Souza, em São Paulo, a 19.09.
1950 A coroa de ouro de Nossa Senhora da Conceição é levada ao Congresso Eucarístico na cidade do Rio de Janeiro.
1956 Por Decreto Estadual e aprovado pela Câmara Municipal, é instituído o dia 22 de Abril como Aniversário da Cidade.
1958 Itanhaém torna-se Sede de Comarca, abrangendo Itariri, Peruíbe e Mongaguá.
1959 Criados os municípios de Mongaguá e Peruíbe, desmembrados do território de Itanhaém.
1961 Abertura ao tráfego da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega.
1969 Definido pela Lei 878 de 01.11.69 o Brasão de Itanhaém.
1972 Furtada dos altares da Igreja Matriz de Sant’Anna a imagem histórica de São João Batista, padroeiro da cidade de Peruíbe, que ainda estava depositada no nicho direito dos altares laterais.
1985 Falece em Itanhaém o pintor Bernardino de Souza Pereira em 01.08.
1992 Reaberta ao público e fiéis a Igreja Matriz de Sant’Anna, após cinco anos fechada, em restauração.
1996 É criada a Região Metropolitana da Baixada Santista através da Lei Complementar Estadual nº 815 de 30 de julho de 1996. Itanhaém, que pertencia ao Litoral Sul, passa a pertencer à essa região, juntamente com os municípios de Peruíbe, Mongaguá, Praia Grande, São Vicente, Santos, Cubatão, Guarujá, Bertioga.