Serviços
acessibilidade



Publicado em: 27/06/2019 - Última modificação: 16/11/2020 - 11:29
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

1ª Mostra Jogos de Matemática proporcionou uma nova visão da disciplina

EDUCAÇÃO - A partir de materiais como garrafas PETs, tampinhas e caixas de papelão, alunos da EM Maria Aparecida Soares Amêndola criam brinquedos matemáticos



Na quarta-feira (19), os trabalhos foram expostos nas salas de aula da escola

Compartilhar:

Para que os estudantes cresçam sem sentir o pavor de encarar uma tabuada e sem precisar decorar esses números, a Escola Municipal Maria Aparecida Soares Amêndola usou o lúdico para desmistificar o medo e a resistência dos alunos contra a matemática.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

A partir de materiais como garrafas PETs, tampinhas, caixas de papelão e outros, os alunos do 5º ao 9º ano criaram brinquedos matemáticos. Esses trabalhos foram expostos na 1ª Mostra Jogos de Matemática, que aconteceu no último dia 19.

Confira as fotos

As salas de aulas foram palco para apresentação dos projetos desenvolvidos pelos alunos. Lá estavam expostos Soccer Matemático, Giro Matemático, Explosão da Matemática, Sorte ou Azar, Potência Reciclável/Frações Equivalentes e muitos outros. A experiência proporcionou aos estudantes uma nova visão da disciplina. “Precisamos mostrar e insistir que a matemática não tem segredo, é apenas questão de conhecimento”, afirmou a diretora Sandra Regina Veloso.

Aluna do 7º ano A, Raiane da Silva França encontrou em casa uma caixa de papelão que não estava sendo utilizada e transformou o material em um jogo de multiplicação. A garota confessa que o processo de criação exigiu bastante dedicação, mas admite que: “fica mais fácil e divertido de entender matemática desse jeito”.

Pais e familiares estavam presentes prestigiando os trabalhos. É o caso de Lucinéia Rosa Martins, cujo filho Vitor Martins dos Santos, criou a Roleta da Multiplicação. “É muito bom, para nós pais, vermos os nossos filhos se envolverem e se entregarem em um projeto”, disse toda orgulhosa do filho.

Os livros e a internet ajudaram a inspirar os estudantes para a criação dos jogos, e os professores foram mediadores desse conhecimento. “Eles se tornaram protagonistas, pois a criação partiu dos alunos que pesquisaram e com isso foram aprendendo de um jeito mais divertido”, disse a professora de Matemática dos 6º anos, Naiara Izabel de Almeida Silva.

Leia mais

Escolas usam plataforma do Google para avaliação; alunos aprovam tecnologia

Além dela, o professor Fábio Gomes Felipe, que leciona a disciplina para os estudantes do 7º ao 9º ano, contou que a experiência proporcionou maior interação entre os estudantes e que o trabalho ajudou a estimular a criatividade.

Para a assessora de Orientação Educacional Alessandra Cavalcante “Os jogos são importantes recursos pedagógicos para a construção do conhecimento, pois estimulam e despertam o interesse dos alunos, mostrando a criatividade e contribuindo para uma aprendizagem mais significativa”.

“Usamos o lúdico para que o aluno cada vez mais aumente a visão de mundo e entenda que não adianta ficar de mal com a matemática, porque ela vai estar presente no resto da vida dele, então a proposta é ensinar e dar a oportunidade do protagonismo juvenil”, explicou a diretora Sandra Regina Veloso.


Palavras-chave: , , ,