Serviços



Publicado em: 29/03/2019 - Última modificação: 16/11/2020 - 11:55
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Tudo o que você precisa saber sobre sarampo está neste informativo; confira

INFORMAÇÃO - Pessoas de qualquer idade podem contrair o sarampo. A vacinação é a única maneira de prevenir a doença



Se não há comprovação de vacinação, há necessidade de se receber novamente a vacina. Não há risco para a saúde tomar outra dose

Compartilhar:

Novos casos de sarampo têm surgido pelo país. Pesando nisso, a Secretaria de Saúde separou informações importantes que o munícipe precisa saber sobre a doença, como sintomas, transmissão e prevenção, e as organizou neste informativo. Contudo, vale ressaltar que, se ainda não tomou a dose da vacina, recomenda-se procurar uma Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima e o mais urgente, como primordial forma de prevenção.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa – semelhantemente à tuberculose – mas que pode ser prevenida pela vacina. Pessoas de qualquer idade podem contrair o sarampo. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade da doença, particularmente em crianças recém-nascidas e desnutridas.

O comportamento endêmico do sarampo varia, de um local para outro, e depende basicamente da relação de três fatores: grau de imunidade, suscetibilidade da população e circulação do vírus na área. Portanto, estar com a vacinação em dia acaba por garantir, pelo menos, os dois primeiros fatores. Quanto a isto, segundo dados oficiais da Vigilância Epidemiológica do Município, pouco mais de 90% da população foi vacinada já no ano passado.

Os munícipes que ainda não se imunizaram devem buscar pela vacina em uma USF. Segundo o Ministério da Saúde, além dos casos na região norte do país, alguns isolados e relacionados à importação foram identificados em São Paulo, Rio Grande do Sul, Rondônia e Rio de Janeiro.

Leia mais
Participe da 3ª Caminhada do Dia Mundial de Conscientização do Autismo neste domingo
Perdeu? Achou? Leve mais amor para dentro de casa, adote um animal

SINAIS E SINTOMAS

Os principais sinais que caracterizam a doença são febre alta – acima de 38,5°C, manchas vermelhas, tosse, coriza, conjuntivite e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal e que antecedem de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas. Os sintomas podem incluir também dor de cabeça.

TRANSMISSÃO

Ocorre de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Por isso, o poder de contágio da doença é elevado. A transmissão ocorre de quatro a seis dias antes que os sintomas se manifestem, em especial o exantema. Dois dias antes e dois dias após o início deste último sintoma citado é o período de maior transmissibilidade. Vale lembrar que o vírus vacinal não é transmissível. A vacinação é a única maneira de prevenir a doença.

SOBRE A VACINAÇÃO

As vacinas estão disponíveis em todas as USFs da Cidade, com exceção da Unidade do Grandesp, que será reinaugurada como USF Santa Júlia na próxima sexta-feira (12). As Unidades atendem de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas. Quem comprovar a vacinação contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

Faixa etária Dose
Crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade Uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral)
Crianças de 5 a 9 anos de idade que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente Duas doses da vacina tríplice
Adolescentes e adultos até 49 anos Pessoas de 10 a 29 anos: duas doses da vacina tríplice
Pessoas de 30 a 49 anos: uma dose da vacina tríplice viral

 


Palavras-chave: , , , ,