Publicado em: 29/01/2020 - Última modificação: 21/02/2020 - 18:06
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

80% dos focos do mosquito Aedes aegypti estão em residências

EM CASA - O inseto de hábitos urbanos utiliza qualquer descuido da população para fazer de um pequeno local com água parada, um criadouro



Na luta contra o mosquito Aedes Aegypti, ninguém pode ficar de fora

Compartilhar:

Você sabia que 80% dos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e de outras doenças, estão nas residências? O inseto de hábitos urbanos utiliza qualquer descuido da população para fazer de um pequeno local com água parada, um criadouro. Por isso, os cuidados começam dentro da sua casa. É responsabilidade dos munícipes intensificar as medidas contra o mosquito, afinal, é melhor prevenir do que remediar, principalmente tratando-se da dengue, doença que pode evoluir à morte. Se cada um cuidar do seu lar, Itanhaém passará 2020 mais distante do Aedes Aegypti.

 Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook e no Twitter

É importante frisar que pequenos criadouros podem causar epidemias de dengue, por isso a conscientização de toda a população é o ingrediente principal para o combate ao Aedes aegypti. Nesta luta contra o mosquito, ninguém pode ficar de fora.

“As pessoas precisam realmente entender que o combate ao mosquito depende delas”, relata a coordenadora do setor de Endemias da Cidade, Marinês Adão. Segundo ela, as casas com maiores índices de focos são de próprios munícipes, pois o Aedes Aegypti é considerado doméstico e aparece onde há maior concentração de pessoas.

 Leia mais
Últimos dias: Carreta da Mamografia faz exames na Praça Narciso de Andrade
Discutindo estratégias: Conselho Municipal de Saúde realiza primeira reunião de 2020

Segundo o secretário de Saúde do Município, Dr. Fábio Crivellari Miranda, são simples as ações de prevenção ao mosquito: “em nossa casa temos ‘venenos’ caseiros que eliminam a possibilidade de um criadouro. Detergente, água sanitária, cloro, sal grosso e qualquer produto que altere a composição química da água a torna inacessível para o Aedes aegypti, pois eles são insetos sensíveis”.

Outras dicas para combater o mosquito Aedes Aegypti são:

– Evitar o acúmulo de lixo, colocá-lo em sacos plásticos e manter as lixeiras bem tampadas;

– Lavar com frequência (pelo menos duas vezes na semana) as vasilhas de água e comida de animais;

– Deixar ralos cobertos por telas;

– Colocar areia até a borda dos pratinhos de vasos de plantas;

– Não deixar acumular água em materiais descartáveis, pneus, ou qualquer local em que possa ficar resíduo de água parada.

 RECICLAGEM

Grandes e pequenas reciclagens tornam-se perigosas quando em grandes quantidades, por isso é recomendado que pessoas que trabalhem com isso mantenham um cuidado diário com os materiais.


Palavras-chave: , , , ,