Publicado em: 24/07/2020 - Última modificação: 16/11/2020 - 10:30
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Projeto ambiental estuda biodiversidade de rios e mares

ALUNOS E PROFESSORES - Diante da pandemia da Covid-19, as atividades acontecem de forma virtual em três escolas da rede municipal



O projeto leva 110 estudantes a pensarem e refletirem sobre o ecossistema dos manguezais, importante berçário da vida marinha e outros organismos

Compartilhar:

Com investimentos em propostas que visam a preservação ambiental de até 40% do território municipal, classificado como área de proteção permanente, Itanhaém aposta em atividades lúdicas e contextualizadas voltadas aos estudantes do Ensino Fundamental para conhecerem a biodiversidade de rios e mares. O caderno do aluno integra o projeto “Um mangue no meu quintal” que leva 110 crianças e adolescentes a refletirem sobre o ecossistema dos manguezais, importante berçário da vida marinha e outros organismos.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Flickr

Diante da pandemia da Covid-19, as atividades acontecem de forma virtual em três escolas da rede municipal. O projeto desenvolvido pela Fundação Florestal na Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro (APAMLC),  unidade de conservação do Estado, conta com apoio das secretarias de Planejamento e Meio Ambiente e de Educação, Cultura e Esportes de Itanhaém.

Leia mais
Poda ou corte de árvore? Saiba como realizar o procedimento da forma correta
Meio Ambiente realiza monitoramento de áreas contaminadas via satélite

A Fundação Florestal disponibiliza para as escolas os materiais que são apresentados, discutidos e aplicados pelos professores aos alunos, por meio da plataforma Google Sala de aula, que servem de instrumento para aproximá-los e incentivá-los com informações acerca do manguezal e como funciona a cadeia e teias alimentares. Participam do projeto as EM Sílvia Regina Schiavon Marasca, EM Eugênia Pitta Rangel Veloso e a EM Maria Cristina de Macedo Gomes.

Segundo a assessora pedagógica da disciplina de ciências da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, Adriana de Pinho Sitta, haviam muitos planos para o desenvolvimento de trabalhos na área de educação ambiental e, por conta da pandemia, tiveram que ser suspensos. “As crianças que estão em isolamento, deixando de interagir com o meio ambiente e a natureza, podem aproveitar esse momento para aprender sobre o ecossistema. E, no ano que vem ,quando retomarmos as atividades, elas estarão com mais informações”, finaliza.


Palavras-chave: , , , ,